Valcir e Sidnéa: o samba de Nova Friburgo chega à TV

Conheça os talentos de Olaria que se apresentaram no Programa do Ratinho no SBT
terça-feira, 08 de dezembro de 2015
por Eloir Perdigão
(Foto: Amanda Tinoco)
(Foto: Amanda Tinoco)

No último dia 30 de novembro duas figuras mais que conhecidas no bairro Olaria, e por extensão, em toda Nova Friburgo, participaram do Programa do Ratinho, no SBT, ao vivo para todo o Brasil e exterior. Eram os compositores e sambistas Valcir Ferreira e Sidnéa Merêncio. Depois de muitos contatos com a produção foram convidados para mostrar seus talentos em rede nacional. A dupla interpretou a música “A Voz do Morro”, de Zé Keti, indicada pelo programa. Ensaiaram, inclusive, com a orquestra do programa — e mandaram bem. A repercussão, evidente, foi a melhor possível.

Valcir é eclético. Mora em Olaria e tem, com a Sidnéa, uma quitanda e trabalha na feira do bairro. Compõe e canta samba e desfila em escolas de samba e blocos. Em todo lugar que vai leva consigo seu jeito malandro, bem carioca, sempre sorridente, com toda a sua simpatia característica. A Sidnéa também é um destaque. É professora, veio e se “somou” ao Valcir no mundo do samba. Uma das consequências foi o programa “Samba pra gente sambar” na televisão. Começou na TV Friburgo e depois passou para a TV Focus, onde recebem os amigos e todos que batalham como eles — para mostrar seus valores também.

Em Olaria, Valcir é figurinha fácil. São 50 anos no bairro. Veio de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, aos 5 anos com a família. Chegou em Olaria e não saiu mais. Sempre gostou de samba e marchinhas de carnaval. Como escrevia versos, musicá-los foi um passo, incentivado pelos amigos, até da fábrica Sinimbu, onde ele trabalhava, incluindo-se aí Laercio Ventura, posteriormente diretor de A VOZ DA SERRA.

Foi Laercio que indicou Jorge Marchon a Valcir. O entrosamento com esse professor de violão do Sesc foi facilitado porque ele também morava em Olaria. Ele era sincero: se o aluno levava jeito ou não, Marchon falava logo. E Valcir deu certo. Indicado por Jorge, participou de um programa do radialista João Hermes, na Nova Friburgo AM, onde cantou uma marchinha. E daí não parou mais. Na mesma emissora, Valcir participou de um concurso de marchinhas do programa de Odir de Souza, o Godô. E assim foi fazendo seus contatos e ficando conhecido.

Na época — anos 80 — Valcir foi convidado a participar da gravação de um disco com a música “Carnaval no Rio”, que integrou a programação da Rádio Nova Friburgo AM, com apoio do comunicador Moisés de Moraes Filho e do então diretor Aloísio de Moura, que também tinha seu programa. Outros apresentadores que sempre apoiaram Valcir foram Coracy Martins e David Rangel, entre outros, das rádios Nova Friburgo AM e Sucesso FM, que sempre lhe deram força tocando suas marchinhas e sambas.

Valcir e Sidnéa

Fora da fábrica, Valcir tratou de se firmar na música, praticamente se profissionalizar. Fez um teste na Escola Nacional de Música, no Rio, onde conheceu a Sidnéa. As apresentações se avolumaram tanto em Nova Friburgo quanto no Rio de Janeiro. Participou de três LPs: “Carnaval no Rio” e “Vieram pra ficar”, volumes 1 e 2. Os CDs foram “Amor Ardente” e “Canto pra gente sambar”, este com o sucesso “Tô pegando fogo”.

Esse último CD já contou com a participação de Sidnéa Merêncio, inclusive revisando as letras. Em Nova Friburgo ela está há dois anos. Mas, antes de falar de si, ela fez questão de ressaltar que Valcir tem a carteira da Ordem dos Músicos, o registro no Sindicato dos Compositores e é associado das Sociedades Arrecadadoras (Socimpro). E isso faz com que outros compositores procurem por ele em busca de ajuda na elaboração de partituras e idas ao Rio para o registro de músicas. É um trabalho social que Valcir presta, devidamente compartilhado por Sidnéa.

Canto Pra Gente Sambar

Dentro dessa missão de ajudar os amigos, Valcir e Sidnéa idealizaram um programa de televisão. “Canto pra gente sambar” iniciou sua caminhada na TV Friburgo e posteriormente passou para a TV Focus. Está, inclusive, registrado na Fábrica de Projetos, órgão de Brasília, que precisa de uma força para ser aprovado. É um programa de samba, que recebe talentos que não têm oportunidade em outras mídias. “Nós damos espaço a pessoas como nós, que têm a mesma luta como nós”, salienta Sidnéa.

O programa tem página na internet (está no YouTube e tem um site), onde pode ser assistido e são exibidas as fotos, de autoria de Luiz Carlos Júnior. “Nosso programa é uma árvore onde vieram se aninhar vários pássaros cantores”, diz Sidnéa.

Programa do Ratinho

A participação no Programa do Ratinho, no SBT, no dia 30 de novembro, foi como uma coroação do trabalho desenvolvido por Valcir e Sidnéa. Durante mais de um ano foram enviados vídeos à produção e tiveram que entrar na fila. Até que uma produtora do programa entrou em contato com os dois e foi acertada a viagem a São Paulo.

Para Valcir, toda a viagem valeu a pena. A atenção que receberam foi total. Viajaram de avião, uma van os levou ao hotel e de lá ao SBT, ensaio com a orquestra do programa, lanche, recepção calorosa do apresentador e a interpretação da música “A Voz do Morro”, de Zé Keti, com a qual já estavam afiados. Com aval do Ratinho, Valcir e Sidnéa tiveram oportunidade de mandar um abraço para a galera de Nova Friburgo e Olaria.

A repercussão não poderia ter sido melhor. Por onde vão encontram amigos que viram, outros que ligam e na internet a página do programa “Canto pra gente sambar” está ‘bombando’, como afirmam. Mal saíram do palco, ainda no SBT e com o programa no ar, o WhatsApp já estava com as mensagens dos amigos e gente de todo lado. Até do Canadá teve uma participação. Dois talentos de Olaria para o mundo. A dupla ainda faturou R$ 4 mil do programa.

TAGS: Música