Um novo começo

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017
por (Foto: Wikimedia Commons)
Um novo começo

Depois de mais de um mês de recesso, deputados e senadores retomam os trabalhos legislativos nesta semana. Oficialmente, a volta das atividades do Parlamento ocorre na quinta-feira, 2, com a sessão solene do Congresso Nacional, que deverá contar com a presença do presidente da República, Michel Temer, e da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmem Lúcia. Antes da abertura oficial dos trabalhos do Legislativo, Senado e Câmara irão escolher seus novos presidentes e demais integrantes da Mesa Diretora.

COM TANTOS escândalos de corrupção, com tantas notícias de desgoverno, a imagem geral da classe política foi se desgastando e para virar este jogo ninguém melhor do que os próprios políticos. E que aqueles que foram eleitos ou reeleitos façam cada qual a sua parte e recomecem a história do Brasil, adotando comportamento ético e respeitoso com o dinheiro público e, sobretudo, com a nossa pátria.

FOI-SE O TEMPO da educação moral e cívica, onde os pequenos tinham como quase certo um futuro de bom caráter porque aprendiam desde criança a respeitar a família, mas, acima de tudo, a respeitar a pátria. Que os políticos que tomaram posse  no início do ano preservem essa história e trabalhem no sentido de garantir conquistas no presente e no futuro.

A RESPONSABILIDADE a partir do momento em que se assume um cargo público eletivo é muito grande e a democracia brasileira permite que todos sejam livres para disputar e a liberdade de escolha também existe. Mas, infelizmente, por conta de uma série de fatores muitos políticos afloram suas fraquezas e acabam decepcionando os eleitores, não zelando pelo próprio nome e assim permitindo que ele se envolva em recebimento de propina e outros tipos de falcatruas e formas de enriquecimento ilícito.

FELIZMENTE O Brasil ainda pode contar com políticos que honram seus mandatos e procuram corresponder com orgulho a confiança que os eleitores neles depositaram. É por isso que não se pode generalizar. Nem todos os políticos são corruptos, nem todos têm mau caráter e nem todos entram no jogo da corrupção. Seus exemplos merecem grande ênfase, não por serem honestos porque isso é obrigação de todos e principalmente dos políticos. Mas, sim, por se destacarem e conseguirem resistir à tentação da corrupção. E quem é honesto consegue resistir. 

TAGS: