Tereza Malcher é a nova presidente da Academia Friburguense de Letras

Sessão solene de posse da nova diretoria será nesta sexta-feira
quinta-feira, 19 de janeiro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Tereza Malcher é a nova presidente da Academia Friburguense de Letras

A Academia Friburguense de Letras dará posse à sua nova diretoria, para o biênio 2017/2018, com sessão solene nesta sexta-feira, 20, às 19h, na sede da Casa de Júlio Salusse (Praça Getúlio Vargas, 57). Quem assumirá a presidência da academia será a escritora e colunista titular da coluna Momentos Literários, no site de A VOZ DA SERRA, Tereza Malcher, substituindo o também colunista do jornal Robério Canto, que assina Escrevivendo todas as quartas-feiras, na versão impressa.  

Formada em pedagogia pela Universidade Santa Úrsula, e mestre em educação pela PUC-Rio, Tereza Cristina Malcher Campitelli já publicou títulos infantis, como “O livro maluco e a caneta sem tinta”, em coautoria com Márcio Paschoal, “Um cão cheio de ideias”, “Aventureiros da Serra”. Este primeiro, inclusive, foi indicado ao Prêmio Jabuti 2007. 

Além de suas produções infantis, Tereza adaptou textos para o teatro, como “Cabeças Trocadas”, de Thomas Mann, encenado no Sesc Copacabana, em 2000; “Você me Ama?”, de Ronald D. Laing, em 2002, no teatro Candido Mendes, “Um cão cheio de ideias”, de própria autoria, no Teatro das Artes, no Shopping da Gávea, em 2007, dentre outros. A escritora também realiza oficinas de literatura desde 2008. 

Em 2014, Tereza faturou o primeiro lugar no prêmio Off Flip de Literatura, 2014, na categoria infanto-juvenil, na Festa Literária Internacional de Paraty, cujo livro foi editado em 2015 pela respectiva editora, Selo Off Flip. Atualmente, Tereza ocupa a cadeira de número 27 da Academia Friburguense de Letras.

Depoimento de Tereza Malcher, presidente da Academia Friburguense de Letras

“Desde que fui eleita, tenho refletido sobre o papel que vou exercer, uma vez que a Academia é uma entidade significativa em Nova Friburgo por existir ativamente há 70 anos, fruto dos ideais e trabalho dedicado de gerações de acadêmicos que produziram literatura e cuidaram das diversas expressões literárias da cidade. Hoje, constato, por tudo o que vivenciei na vida acadêmica, que Nova Friburgo é um lugar inspirador. Temos um grupo de jovens escritores ávidos, construindo romances e buscando melhorar a qualidade nos processos individuais de escrita; eles precisam de respaldo. E, assim, portanto, reconhecemos nossa função: oferecer subsídios à produção literária da região. O que já estamos fazendo através do encontro entre escritores que se constitui num momento em que debatemos temas relevantes ao escrever e trocamos experiências. Além do que já criamos em nosso estatuto um anexo jovem, com 15 cadeiras, para acolher escritores entre 16 e 29 anos.

Nos dois últimos anos em que fui primeira-secretária, tive a oportunidade de vivenciar o dia a dia acadêmico, muito trabalhoso, por sinal, que nos exigiu cuidados especiais. Tive a sorte em coparticipar de uma direção esforçada e dedicada. E agora, encontro o maior dos desafios: dar continuidade ao trabalho de Robério José Canto, que foi um sábio e sereno presidente. Ao seu lado e, também ao lado de Ordilei Alves da Costa, Alberto Lima Abib, Aécio Alves da Costa (falecido este ano), padre Luiz Cláudio Azevedo de Mendonça, Hartmut Riedmaier, Paulo Jordão Bastos realizamos projetos em que divulgamos a história da cidade na biblioteca do Sesc, como o “Esta história também é sua”, visitamos escolas, realizamos palestras e concursos literários em âmbito nacional, fizemos lançamento de livros de acadêmicos e de escritores friburguenses, realizamos encontros com outras academias, participamos ativamente da Flinf (Festa Literária de Nova Friburgo), da 1ª Feira Cultural de Nova Friburgo, bem como de outras atividades literárias, como do Café Literário e do Clube de Literatura. Enfim, foram dois anos dinâmicos e, principalmente, alegres. Constituímos um grupo proativo que trabalhou intensamente e em caráter voluntário. 

A partir de 2017, vamos conduzir uma academia dinâmica e pretendemos acrescentar novas atividades como saraus; palestras, trazendo, inclusive, escritores e pensadores de outras regiões; mesas redondas, evidenciando o processo de escrita. Além de intensificar o contato entre escritores e leitores. Estamos cientes das dificuldades que vamos enfrentar para realizar nossas propostas, uma vez que os recursos são escassos. Vamos em frente! Faço questão de ressaltar o nós; sem um grupo coeso e amigo pouco ou quase nada poderei fazer. Assim, espero corresponder à oportunidade que a vida me oferece em ser útil à Nova Friburgo, um lugar especial que adotei desde os 9 anos de idade, cidade que precisa reflorescer, resgatando seu potencial literário e cultural.” 

 

TAGS: