Sem luz no fim do túnel

segunda-feira, 23 de maio de 2016
por Jornal A Voz da Serra

A SECRETARIA Municipal de Ordem e Mobilidade Urbana anuncia novas medidas para desafogar o movimento de veículos no centro da cidade e promete implantar a mão dupla em vias como a Rua General Osório, visando melhorar o fluxo do trânsito naquele local. Mais uma mudança prometida para descomplicar o já complicado trânsito da cidade. Além dela, inúmeras vias na cidade precisam de um controle maior e, se possível, maior fluidez.

PORÉM, mais importante que a pretensa modificação é constatar a dura realidade dos dias atuais, sendo um dos piores exemplos o transporte no município, onde sobram placas proibitivas e faltam vagas para os mais de 80 mil veículos emplacados na cidade. E a expectativa de atingir 100 mil veículos é um mau sinal de que enfrentaremos novos congestionamentos num futuro próximo.

NÃO ESTÁ sendo fácil para o friburguense conviver com os congestionamentos diários que ocorrem por conta do excessivo número de veículos. Agora mais recentemente, outro inconveniente chega para aumentar o tempo do percurso dos bairros da região norte com destino ao centro da cidade. Enquanto as obras de melhoria viária em Conselheiro Paulino não deslancham, continuam os reflexos no trânsito no eixo Duas Pedras-Centro, principalmente nos fins de tarde.  

ASSIM COMO o percurso pela Rua Sete, motoristas sofrem o mesmo drama no Paissandu, porta de chegada ao centro de Nova Friburgo e trecho urbano da rodovia RJ-116. Ali também se vê a saturação de veículos e a falta de providências da engenharia de tráfego, além da ausência de fiscais para auxiliar na fluidez do trânsito.

PROMESSA de campanha de todos os candidatos, o trânsito friburguense se torna um desafio para a administração de hoje e de amanhã. Não é uma tarefa que se conclua da noite para o dia, sem que se façam investimentos em tecnologia e recursos humanos, e o trânsito friburguense já mostrou que não pode dispensar de tais recursos. É preciso agir rapidamente, pois o problema cresce diariamente. 

O TRÂNSITO tem sido o responsável pela bagunça generalizada nas grandes metrópoles brasileiras e o mal se alastra pelas pequenas e médias cidades, como Nova Friburgo. Buscar novas soluções antes que o mal se enraíze, por enquanto, está somente nas cabeças dos motoristas. Nossas autoridades se desdobram em buscar soluções, mas estas, infelizmente não se traduzem em benefícios, com prejuízos evidentes para toda a comunidade. Até quando? 

 

TAGS: