Riqueza friburguense

quinta-feira, 01 de outubro de 2015
por Jornal A Voz da Serra

NO ÚLTIMO dia 27 foi comemorado o Dia Mundial do Turismo no qual se destaca o potencial do turismo como fator de desenvolvimento socioeconômico a nível mundial. Com mais de um bilhão de turistas viajando pelo mundo anualmente, o turismo tornou-se uma força poderosa e transformadora que tem um significativo impacto positivo na vida de milhões de pessoas.

O POTENCIAL do turismo para o desenvolvimento sustentável é considerável. Enquanto um dos setores mais importantes ao nível da criação de emprego, o turismo oferece importantes oportunidades de subsistência, ajudando a aliviar a pobreza e a impulsionar o desenvolvimento da inclusão social. O setor também tem um importante papel na promoção do entendimento multicultural e no aumento da consciência sobre a necessidade de preservar o patrimônio cultural e natural.

NO MOMENTO em que o mundo se prepara para adotar uma nova agenda de desenvolvimento sustentável, devem ser reconhecidas as capacidades do turismo para criar empregos, promover culturas e produtos locais, defender a conservação e o uso sustentável dos habitats. E Nova Friburgo tem muito a oferecer nesta área.

ESTIMA-SE que o Brasil detenha cerca de 15% de toda a flora mundial e milhares de espécies de plantas raras ao longo do território nacional. A Região Sudeste é a que apresenta a maior média, com destaque para o estado do Rio de Janeiro. Neste percentual certamente as florestas de Nova Friburgo se inserem com uma boa parcela. Motivo, pois, de orgulho e preocupação. Afinal, poucas cidades conservam o seu patrimônio natural com esta exuberância e raridade.

POUSADAS lotadas, restaurantes requisitados, e o consumo no comércio em geral marcam os dias de feriados de visitantes de todos os lugares. A região está pronta para mostrar que a beleza da Mata Atlântica é um chamariz permanente, aliada à infraestrutura que evita interferir no ambiente, proporcionando a tão sonhada tranquilidade que os grandes centros não oferecem.

NUM ANO de grandes expectativas será preciso usar a criatividade sem gastar muito, oferecendo um produto que já está implantado e que, com continuidade operacional poderá fazê-lo crescer ainda mais. A perspectiva, pois, é de que o setor conduza a cidade ao seu lugar de destaque no interior fluminense, atraindo mais visitantes, gerando empregos e movimentando a economia.

O MUNICÍPIO, devido à sua dimensão e situação geográfica, tem sido alvo de pressões para a utilização de seu patrimônio natural que vão do uso não sustentado de seus componentes, a retirada da vegetação para a agricultura e o avanço imobiliário, revelando uma busca pelo crescimento econômico nociva ao meio ambiente e ao próprio homem. Tais atitudes formam um novo desafio aos governantes para promover políticas de desenvolvimento socioambientais e encontrar alternativas para o modelo usado até agora.

O PAÍS VIVE o dilema de se desenvolver conservando. Trata-se de momento especialmente crítico com a iminência do aquecimento global. Pela riqueza da flora nacional, precisa utilizar estratégias de desenvolvimento que melhorem a qualidade de vida da população conservando a nossa biodiversidade. Nova Friburgo, seguindo o ditado “pense globalmente, aja localmente”, deve se espelhar nessas alternativas para preservar o patrimônio natural, promovendo, assim, a nossa própria sobrevivência.

DEVEMOS trabalhar em conjunto para maximizar o imenso potencial do turismo no sentido de impulsionar o crescimento econômico inclusivo, proteger o meio ambiente, promover o desenvolvimento sustentável e uma vida digna para todos. Esta é a mensagem para Nova Friburgo.

 

TAGS: