Questão de educação

quinta-feira, 24 de setembro de 2015
por Jornal A Voz da Serra

A CRIAÇÃO DO Dia Nacional do Trânsito ocorreu a partir da elaboração do Código Nacional de Trânsito em 1997. O objetivo era estabelecer uma campanha intensificada de conscientização das pessoas sobre o seu comportamento utilizando veículos ou agindo como pedestres. Passados 18 anos, a data ainda não conseguiu atingir os seus objetivos plenamente.

NO BRASIL as estatísticas referentes aos acidentes de trânsito são alarmantes. Dados divulgados pelo Observatório Nacional de Segurança Viária asseguram que morrem mais pessoas nesse tipo de acidente do que, por exemplo, de câncer. A maioria desses acidentes está relacionada com infrações cometidas pelos motoristas e até pelos pedestres. A duras penas os motoristas das estradas brasileiras aos poucos vão compreendendo a importância da prevenção de acidentes automobilísticos.

EMBORA seja positivo o índice de acidentes apresentados ano a ano, ainda estamos longe de atingir índices mais compatíveis com o número de veículos que circulam nas ruas brasileiras. Principalmente evitando mortes e ferimentos que ocorrem, na maioria das vezes, pela imprudência dos motoristas, vitimando adultos e crianças.

COMO EXEMPLO, anualmente, os acidentes de trânsito no país tiram a vida de mais de 2500 crianças de até 14 anos e deixam hospitalizadas cerca de 18 mil, em média. São acidentes com a criança na condição de pedestre, por atropelamento, passageira de veículo ou ciclista. Tais números e as sequelas físicas, emocionais, sociais e financeiras deixadas por estes acidentes justificam a importância permanente de medidas preventivas.

INFORMAÇÃO, conscientização, ambientes adequados, leis específicas e fiscalização rígida são alguns dos elementos que podem mudar esta realidade. Devido ao grande número de veículos no município, às poucas áreas de circulação e à concentração verificada nas ruas centrais da cidade, o assunto ganha dimensão preocupante.

OS PROBLEMAS verificados no trânsito em Nova Friburgo são de toda a ordem e a comunidade busca atenuar as dificuldades com o famoso ”jeitinho”, conforme demonstrado nas páginas de A VOZ DA SERRA em diversas edições. Somente uma parceria entre as autoridades e a população poderá mudar este quadro e evitar que tantas infrações sejam cometidas.

EMBORA os índices de acidentes sejam elevados, campanhas de educação no trânsito surtem efeito em toda a comunidade como forma de alertar a sociedade para as leis que regulam o assunto. A imprudência, negligência e imperícia humana são os principais fatores responsáveis por acidentes com vítimas fatais. Isto poderia ser minimizado se, ao compartilharem o espaço público, os cidadãos refletissem de forma coletiva a favor do bem comum.

TAGS: