Professora doutora da PUC-Rio homenageia Affonso e Marina

"Se adotaram Friburgo, Friburgo os adota como inspiradores", escreve Eliana Yunes
sexta-feira, 27 de outubro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Affonso Romano e Marina Colasanti (Foto: PUC-Rio)
Affonso Romano e Marina Colasanti (Foto: PUC-Rio)
(Por Eliana Yunes)*

"Encontro com a poesia não é fuga, mas resistência"
O mineiro Affonso Romano de Sant'Anna foi viver na beira do mar, depois de ler no seu conterrâneo Drummond, que "Minas não há mais". Mas pode um mineiro viver sem estar entre montanhas? Mais pertinho que a Mantiqueira estava a Serra do Mar e nela Nova Friburgo. No finzinho de um braço da Estrada Real que subia para o Morro Queimado, ele e Marina Colasanti criaram um refúgio com vista para o paraíso das copas de árvores na Mata Atlântica.

Ambos migrantes entre muitas terras, voltam sempre a este cantinho de mundo em que a fada tece, cozinha e inventa "contos maravilhosos" enquanto compõe versos o poeta quase épico, o mestre quase lírico. Se adotaram Friburgo, Friburgo os adota como inspiradores para pensar o bicentenário que aí vem,  no grave momento que todos vivemos: "Entre a espada e a rosa" o Brasil se pergunta perplexo: "Que país é este?"

Encontro com a poesia não é fuga,  mas resistência. 

* Eliana Yunes (foto), friburguense, é professora doutora da PUC-Rio e homenageará os escritores Affonso Romano de Sant'Anna e Marina Colasanti na abertura oficial da Flinf às 19h30 desta sexta-feira, 27, no Teatro Municipal Laercio Ventura.  Eliana atuou durante anos ao lado de Affonso na implementação e desenvolvimento do Proler.

TAGS: Flinf