Problema ainda sem solução

quinta-feira, 02 de julho de 2015
por Jornal A Voz da Serra

A EXTINÇÃO de um antigo ponto de ônibus no Paissandu, feita pela Smomu recentemente, teve como finalidade descongestionar o fluxo de veículos naquela praça, aliviando um pouco a difícil passagem dos motoristas pelo local. Porém, as medidas apenas cuidam da principal entrada no centro urbano da cidade cortada pela RJ-116. O trânsito friburguense requer uma intervenção maior.  

APESAR DOS esforços governamentais, uma questão vem logo à tona quando o assunto é trânsito em Nova Friburgo: o número de veículos e as poucas opções de tráfego nas ruas e avenidas. O tema continua desafiando os governantes à espera de soluções que auxiliem a comunidade a conviver com as dificuldades e a adquirir novos hábitos por conta deste inconveniente. 

DIVERSOS projetos da Prefeitura estão sendo desenvolvidos sem ainda ganhar as ruas e poderão ser implantados este ano. Os mais esperados são o sistema rápido de ônibus (BRS) e o estacionamento rotativo nas ruas centrais da cidade. Além disso, as imprescindíveis faixas de pedestres precisam ser recuperadas em todo o Centro, delimitando convenientemente os espaços para segurança e conforto dos cidadãos.

A EDUCAÇÃO também é outro ponto nevrálgico para a melhoria das condições do trânsito em Nova Friburgo. Através de campanhas educativas, pode-se melhorar consideravelmente a convivência, conscientizando a comunidade dos seus direitos e deveres, valendo para pedestres e motoristas. Tais campanhas, para a sua execução, necessitam de apoio do poder público e da iniciativa privada, integrando a sociedade friburguense num assunto que diz respeito a toda população.

AS ESCOLAS, por movimentarem número expressivo de jovens cidadãos, devem dar o exemplo e a Smomu pode colaborar muito na formação de uma nova mentalidade, mais preventiva e atenta às regras de trânsito. Sem falar no trabalho de conscientizar e sensibilizar ainda mais os atuais motoristas, a despeito das dificuldades. A estes, cabe olhar ao redor e se conscientizar das dificuldades na convivência do homem com o automóvel. E dirigir seguro.

 

TAGS: