Preço de combustível cai: litro da gasolina que chegou a R$ 5 é encontrado a R$ 4,51

Redução ocorreu após cotação internacional do barril de petróleo ter despencado quase 8% no último dia 23 de novembro
sexta-feira, 30 de novembro de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Os preços num posto sem bandeira em Duas Pedras (Fotos: Henrique Pinheiro)
Os preços num posto sem bandeira em Duas Pedras (Fotos: Henrique Pinheiro)

 

O preço do combustível está mais baixo em Nova Friburgo. E não é fake news. Nas últimas semanas, o que parecia impossível aconteceu. Depois de atingir picos de pouco mais de R$ 5 após a greve dos caminhoneiros, em maio deste ano, o litro da gasolina está custando em média R$ 4,79 em postos com bandeira e R$ 4,51 em postos sem bandeira. Uma redução magra, mas que, de acordo com a projeção do mercado, tende a diminuir neste último mês do ano.

A redução ocorreu após os preços do petróleo terem despencado quase 8% no último dia 23 de novembro. Esse foi o menor percentual observado em mais de um ano. Foi a sétima perda semanal consecutiva em meio a dúvidas sobre o excesso de oferta, apesar de as produtoras considerarem a possibilidade de cortes na produção.

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços dos combustíveis desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente. Desde o início do novo método, o preço da gasolina comercializada nas refinarias acumula alta de 14,39% e o do diesel, valorização de 56,61%, segundo o portal Valor Online.

Diesel

A Petrobras anunciou na última quinta-feira, 29 de novembro, uma redução de 15,28% no preço do diesel nas refinarias. O corte ocorre após a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgar novos preços de referência para a comercialização do diesel, que passou a ser subsidiado pelo governo após a greve dos caminhoneiros. Com o corte, o preço médio do litro do diesel nas refinarias caiu de R$ 2,12 para R$ 1,79, a menor cotação desde meados de março, segundo a agência Reuters.

Os valores praticados pela Petrobras representam atualmente menos de um terço (27%) do preço pago pelo consumidor nos postos, conforme os cálculos da estatal, que levam em conta a coleta de preços entre os dias 11 e 17 de novembro em 13 regiões metropolitanas do país.

 

TAGS: combustível