Pedestre sofre

sexta-feira, 06 de novembro de 2015
por Jornal A Voz da Serra

REPORTAGEM publicada na edição de ontem de A VOZ DA SERRA mostrou que, em ruas exclusivas para o trânsito de pessoas, automóveis estacionam irregularmente, impedindo a livre circulação de pedestres e cadeirantes, notadamente nas ruas Portugal e Nossa Senhora de Fátima, no centro da cidade.     

MESMO com tantos projetos expansionistas de desenvolvimento e progresso, Nova Friburgo continua sofrendo males antigos que por diversas administrações foram negligenciados e se constituem em efetivo problema de mobilidade, urbanidade e civilização nos dias de hoje. O perigo está perto de todos, nas calçadas da cidade. A reportagem mostrou, novamente, como é difícil ser pedestre frente aos imprevistos que surgem a cada passo.

SE AS RUAS de pedestres são invadidas sem parcimônia pelos motoristas, prejudicando a livre circulação, as calçadas friburguenses representam um risco semelhante. E as frequentes quedas se constituem em problema sério não apenas para os idosos como para todas as idades. Crianças e adultos também sofrem com a falta de manutenção, agravada ainda pelo uso indevido das más conservadas vias pelos ciclistas, outro fator de risco para todos os passantes.

MUITAS CALÇADAS são desniveladas e apresentam sérios desgastes. Ao contrário de muitas cidades que possuem ruas floridas, com calçadas convidativas ao passeio, as nossas infelizmente ficam à mercê da responsabilidade dos proprietários, dos custos da obra remodeladora e do gosto estético dos mesmos.

APESAR DA fiscalização a cargo da Secretaria Municipal de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu), as irregularidades continuam a ocorrer. Porém, não basta o rigor da autoridade. É preciso haver consciência por parte dos motoristas e ciclistas, adotando posturas civilizadas de convivência. A fiscalização também deveria incluir uma reeducação de motoristas e ciclistas e a formação de novos cidadãos através da educação. Nas calçadas e nas ruas.

TAGS: