Para cada 3 friburguenses, há 2 veículos circulando nas ruas da cidade

Número de motocicletas impressiona. Média em Friburgo é de 7,6 habitantes para cada moto, superior à média nacional, que é de uma moto para cada grupo de 8 moradores
sábado, 03 de agosto de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
(Foto: Henrique Pinheiro)
(Foto: Henrique Pinheiro)

Que o trânsito de Nova Friburgo está cada vez mais complicado, não é novidade para ninguém. São diversos os fatores que causam congestionamentos e fazem o motorista perder tempo e paciência. Nos horários de pico não tem jeito, com tantos veículos trafegando ao mesmo tempo, os engarrafamentos são praticamente inevitáveis. Acidentes também contribuem para complicar ainda mais o trânsito, como os espertinhos que param em fila dupla ou estacionam em locais proibidos, tumultuando o já caótico trânsito da cidade. Isso sem falar na dificuldade que é conseguir uma vaga para estacionar no Centro a qualquer hora do dia.

Mas outro fator contribui bastante para os engarrafamentos: o crescente número de veículos circulando. A VOZ DA SERRA consultou as estatísticas do Detran-RJ com relação à quantidade de veículos - em especial as motocicletas - emplacados em Nova Friburgo, no Estado do Rio de Janeiro e no Brasil. Os dados são impressionantes.

Quantidade de veículos registrados em Friburgo 

Até junho deste ano, Nova Friburgo contava com 129.121 veículos emplacados na cidade. Destes, 82.791 são carros e 24.802, motocicletas. O número representa 6,2% veículos a mais do que o registrado até o mesmo mês do ano passado, quando Friburgo tinha 125.316 veículos registrados – um aumento de quase quatro mil veículos em apenas um ano.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Nova Friburgo tem uma população estimada em 190.084 habitantes (a 15ª maior do Estado do Rio), o que resulta em uma média de um veículo para 1,4 habitante. Ou seja, para cada três friburguenses, há praticamente dois veículos circulando nas ruas. Sem contar os que são emplacados em outras cidades e trafegam diariamente por nossas vias já saturadas.

“Tento evitar sair de carro nos horários de pico, a não ser que seja no contra fluxo. Já notei que em alguns pontos da cidade os engarrafamentos são constantes, independente do horário. Mas comparado ao Rio de Janeiro, ainda acho o trânsito de Friburgo menos caótico”, disse o cineasta Guilherme Rezende Júnior, que se divide entre Nova Friburgo e Rio de Janeiro e conhece bem as dificuldades do trânsito.

“A desordem no trânsito de Friburgo não vai melhorar nem tão cedo. E não é resultado apenas da quantidade de veículos. Passa muito pela educação dos motoristas. Esse é o principal problema do trânsito não só em Friburgo, mas em todo o Brasil. Já vi até carros oficiais estacionados em locais proibidos. Ou seja, não é só a população que carece de mais atenção em relação às regras de trânsito”, analisou o comerciante Jorge Luís Torres.

Os dados referentes ao Estado

O Estado do Rio de Janeiro é um dos que têm a maior frota de veículos do Brasil. E quem anda de carro, moto ou ônibus sabe muito bem disso. A cada dia o número de veículos circulando pelas ruas aumenta bastante. Em todo o território fluminense estão registrados 7.330.561 veículos, sendo que deste total, quase cinco milhões (4.971.234) são carros e 1.198.344 são motocicletas.

Segundo o IBGE, o Estado do Rio é o terceiro mais populoso do país, com cerca de 17,2 milhões de habitantes. Com tanta gente, o número de veículos registrados no Estado não poderia ser pequeno. Segundo levantamento feito por A VOZ DA SERRA, são 2,3 habitantes por veículo, média inferior a registrada em Nova Friburgo, com 1,4 morador por veículos por cada morador da cidade.

Número de motos cresce a cada dia

Segundo levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) analisado pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), o Brasil conta com uma frota de 27.551.164 motocicletas. Isto corresponde à média de uma motocicleta em circulação para cada grupo de oito habitantes, enquanto há dez anos essa relação era de 1/14 habitantes.

Média em Friburgo é ainda maior

Se os números a nível nacional já assustam, a nível local a realidade não é muito diferente. Com pouco mais de 190 mil habitantes e quase 25 mil motocicletas registradas, Nova Friburgo registra uma média de uma moto para cada 7,6 friburguenses. O número de carros ainda é maior (82.791): um para cada 2,2 habitantes na cidade. Mas o significativo aumento de motos circulando nas ruas preocupa porque as motocicletas são mais suscetíveis a acidentes, ou seja, o problema deixa de ser apenas de trânsito e passa a ser também de saúde pública. 

TAGS: Trânsito