Óleo, bateria, quilometragem? Saiba tudo para tomar as melhores decisões

Especialistas de Nova Friburgo dão as dicas para você cuidar bem do seu veículo
sábado, 22 de abril de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Óleo, bateria, quilometragem? Saiba tudo para tomar as melhores decisões

Bateria

Segundo Élcio Junior, da Lorena Baterias, é muito importante fazer revisões periódicas nas baterias. Além de serem gratuitas, ajudam a aumentar sua vida útil e podem evitar imprevistos.

O motorista deve ficar atento a quaisquer alterações de funcionamento do veículo, como simples dificuldades de ignição a alterações no funcionamento do motor em carros com injeção eletrônica de combustível.

Depósitos de sujeira ou oxidação dos cabos e conectores também podem levar a este transtorno, assim como mau funcionamento do alternador e/ou motor de partida.

Compra de usados

Um fator que muitos levam em consideração na hora de comprar o seu seminovo é a quilometragem. Mas de acordo com Dirley Guaceroni, da Inova Automóveis, nem sempre a alta quilometragem é sinônimo de mau uso ou gasto. O que muitos esquecem é que deve ser avaliado com muita cautela o estado de conservação do veículo (exterior, interior e peças). Esta avaliação em alguns casos é mais importante do que uma análise superficial da quilometragem do veículo.

Busque sempre por uma concessionária de confiança, essa é a primeira dica e a mais valiosa. Além disso, exija o Manual do Carro ou notas fiscais de serviço ou mesmo o adesivo de trocas de óleo — são documentos importantes e que irão informar sobre os cuidados de manutenção do antigo dono com o veículo. Fique de olho também no desgaste interior do carro, verifique o banco, volante, pedais e manopla do câmbio. Com até 50.000 km, o desgaste é quase nenhum e a aparência deve ser de um carro novo. A partir de 100.000km, o desgaste ainda é baixo, mas é possível perceber algumas marcas de uso. Acima disso, é aceitável um pedal com a parte metálica à vista, volante mais liso ou espuma do banco com pouca densidade. Outro item que deve ser avaliado são os pneus. Um jogo dura, em média, entre 40.000 km e 60.000 km ou cinco anos. Isso varia muito porque alguns motoristas cuidam bem deles, mantendo-os calibrados, fazendo alinhamento, balanceamento e rodízio com frequência. Levando-se isso em conta, um carro na faixa de quilometragem citada acima deve estar com os pneus que saíram da fábrica ou, no máximo, com o segundo jogo.

Seguindo essas dicas você poderá comprar o seu seminovo com a maior tranquilidade.

Óleo

Segundo a Priscilla, da Frisoldas, o óleo de motor é vital para o bom funcionamento do carro e sua troca deve ser feita de maneira periódica seguindo as orientações do fabricante do veículo.

Existem três tipos de óleos no mercado:

  • Óleos minerais - Esse tipo de lubrificantes atende bem a necessidade de veículos mais antigos e possui o tempo de troca curto.

  • Semissintético - Trata-se um óleo intermediário, tanto no valor como nos benefícios para o motor.

  • Sintéticos - São os óleos mais caros, mas possuem excelente custo-benefício, pois possuem alta durabilidade e propiciam mais economia de combustível.

Cada carro exige um tipo específico de lubrificante, por isso sempre consulte o manual ou um mecânico de confiança.

TAGS: Agora Faz