Obras do Hospital do Câncer podem ser retomadas em outubro

Paralisado desde 2016, projeto prevê o atendimento de 500 mil pessoas por ano
terça-feira, 15 de agosto de 2017
por Guilherme Alt
Obras do Hospital do Câncer podem ser retomadas em outubro

As obras para o Hospital do Câncer, de Nova Friburgo, podem estar próximas de serem retomadas.  A expectativa é que, sanadas as pendências, as obras recomecem em outubro deste ano.

Representantes do governo do estado, da construtora FW Empreendimentos, da Caixa Econômica Federal, do Ministério da Saúde, do Inca, da Fundação do Câncer e diversos especialistas no assunto se reuniram para uma audiência pública na última quarta-feira, 9, na Alerj, quando foram retormadas as negociações para o reinício das obras.

 “Essa é uma notícia extremamente importante para Nova Friburgo. O Hospital do Câncer é um sonho antigo e a conclusão das obras é algo que vai trazer mais conforto e opções de tratamento para milhares de friburguenses e moradores de diversas cidades da nossa região. Vamos continuar batalhando pela retomada das obras e a prefeitura está à disposição para auxiliar no que for necessário”,  comemorou o prefeito Renato Bravo.

Entrave

De acordo com a Caixa existem três pendências para que haja avanço: a retificação de orçamento, a declaração da licitação, informando que foi feita de forma correta e por fim, a assinatura do termo com a empresa que está construindo a unidade (FW Empreendimentos). Esta última dependia de uma publicação em diário oficial por parte do Governo do Estado. Já a construtora FW Empreendimentos, executora das obras até o momento, informou que está apta a retomar as obras assim que houver programação de recebimento dos valores devidos pelo Estado.

Durante o encontro, foram firmados alguns prazos para o reinício das atividades. A expectativa é de que até o dia 16 de agosto seja enviada a documentação completa para Caixa. Entre 16 de agosto e 20 de setembro a Caixa validará a documentação e enviará equipe de engenharia para vistoria da obra. Dessa forma, a possível retomada das obras está prevista para outubro, já que em 14 de dezembro se encerra o prazo contratual para a retomada dos trabalhos.

Paralisação das obras

As obras no hospital pararam depois que uma portaria foi publicada, em março de 2016, no Diário Oficial, que determinou a interrupção dos serviços devido à crise financeira no estado. Sem recursos, a construtora começou a dispensar, aos poucos, os cerca de 80 operários contratados para a reforma do prédio. Muitos deles, que foram subcontratados pela empresa, entraram na Justiça para receber verbas rescisórias.

A licitação para a implantação do Hospital do Câncer foi realizada pelo governo do estado, em parceria com o governo federal, em novembro de 2014. A obra foi orçada em R$ 93,6 milhões — sendo R$ 10 milhões destinados à desapropriação do imóvel onde funcionou, na década de 1990, o Centro Adventista de Vida Saudável (Cavs), R$ 45,7 milhões para as obras e R$ 35 milhões para compra de equipamentos.

A reforma para adequação do prédio começou em abril de 2015 e o novo hospital seria inaugurado no primeiro semestre de 2016, mas o prazo foi adiado para outubro e, depois, estendido para dezembro. Dois anos e dois meses depois, a unidade de saúde, projetada para ser uma referência no tratamento de câncer na Região Serrana e atender 500 mil pessoas por ano, ainda não saiu do papel.

O projeto do hospital, numa área tranquila e cercada pelo verde da Mata Atlântica, prevê serviços de clínica, diagnóstico, cirurgia, radioterapia, medidas de suporte, reabilitação e cuidados paliativos. Estima-se que a unidade terá capacidade para o atendimento de 500 mil pessoas por ano. O centro de oncologia vai contar com 200 leitos, sendo 30 destinados à infância, cerca de 300 consultas por dia e até quatro mil cirurgias por ano.

 

TAGS: saúde | hospital