Obra no CTU do Raul Sertã não tem prazo para ser retomada

Prefeitura tenta a liberação de recursos com os governos estadual e federal
quarta-feira, 23 de agosto de 2017
por Alerrandre Barros
O centro cirúrgico do Raul Sertão, já reformado (Arquivo AVS)
O centro cirúrgico do Raul Sertão, já reformado (Arquivo AVS)

O prefeito de Nova Friburgo, Renato Bravo, está buscando a liberação de recursos com os governos estadual e federal para concluir obras de ampliação e reforma do Hospital Municipal Raul Sertã, paralisadas desde o ano passado. Na segunda-feira, 21, ele tratou do assunto com o secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior, e representantes do Ministério da Saúde, no Rio.

“Estamos empenhados na promoção de melhorias gerais na saúde. É de suma importância que busquemos nas esferas estadual e federal os recursos necessários à efetivação desse trabalho. É exatamente o que estamos fazendo, é nisso que estou pessoalmente empenhado", disse Bravo.

O encontro foi divulgado na terça-feira, 22, pela Subsecretaria de Comunicação Social (Secom), que não detalhou o que ficou definido na reunião. Informou apenas que as negociações foram retomadas. Participaram também a secretária municipal de Saúde, Suzane Menezes, e a subsecretária executiva de Saúde, Michelle Silvares, e os representantes do Ministério da Saúde no estado, Alessandro Coutinho e Marcus Vinícius Dias.

O deputado federal Júlio Lopes (PP) foi quem promoveu a reunião. Na última semana, ele garantiu uma emenda de R$ 1 milhão para unidades de saúde de Friburgo. Lopes foi um dos 263 deputados que votaram a favor do relatório que engavetou a investigação contra o presidente Michel Temer, acusado de corrupção passiva. Entre junho e julho, o parlamentar recebeu R$ 4.528 milhões em emendas da União.

Em junho do ano passado, foi entregue a primeira fase da obra de ampliação do Centro de Tratamento de Urgência (CTU), no térreo do Raul Sertã, onde foram construídas novas salas para enfermaria. As obras no segundo andar e na recepção do CTU, no entanto, foram paralisadas porque, segundo a prefeitura, os repasses de verbas do Programa Somando Forças foram interrompidos pelo governo estadual, após o decreto de calamidade financeira. A situação, entretanto, só deve começar a se regularizar quando for finalizado o acordo de recuperação fiscal do estado. As medidas austeras previstas no plano devem ajudar o Rio a equilibrar as contas.

No primeiro e segundo andar do Hospital está sendo construído, desde outubro de 2015, um novo Centro de Tratamento Intensivo (CTI), que será integrado à unidade coronariana, com amplo espaço e mais leitos, além de novas salas cirúrgicas. A Secretaria de Saúde também planeja implantar no hospital protocolos para classificação de riscos da gravidade de cada paciente, conforme já ocorre na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no distrito de Conselheiro Paulino.

Enquanto as obras não ficam prontas, alguns pacientes com casos mais simples têm sido encaminhados para atendimento médico em postos de saúde e na UPA. O Raul Sertã atende em média 450 pacientes por dia, de acordo com a Secretaria de Saúde, sendo que 30% desses atendimentos são voltados a pacientes vindos de 13 municípios da região.

A prefeitura informou em nota também que, desde o início do novo governo, a cozinha da unidade foi reformada, o refeitório, corredores, recepção, diversas enfermarias e o centro cirúrgico foram entregues com 100% das adequações aprovadas pela Vigilância Sanitária. A lavanderia do hospital também está sendo totalmente reformada e adequada às normas atuais de segurança e fluxos de trabalho.

 

TAGS: saúde | hospital