O mosquito é de todos

terça-feira, 05 de janeiro de 2016
por Jornal A Voz da Serra

NÃO BASTASSEM as preocupações com a série de compromissos financeiros decorrentes dos aumentos e da crise econômica no país, a população enfrenta ainda os causados na saúde pública e, dentre eles, a crescente presença do mosquito Aedes Aegypt transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus. Um pequeno inseto que provoca números alarmantes.

DE ACODO COM a Secretaria estadual de Saúde do Rio, mais que dobrou o número de mortes em decorrência da dengue em 2015 em relação ao ano anterior. No ano passado foram registradas 23 mortes, enquanto em 2014 foram feitos 11 registros. O número de casos suspeitos saltou de 7.819 para 67.253 – um aumento superior a 860%.

O MAIOR NÚMERO de óbitos em 2015 no estado ocorreu no município de Resende, onde oito pessoas perderam a vida em decorrência da dengue, seguido de Campos dos Goytacazes, com três mortes. Paraty e Porto Real tiveram duas mortes cada. Já os municípios de Barra Mansa, Itatiaia, Miracema, Piraí, Petrópolis, Quatis, Duque de Caxias e Volta Redonda tiveram uma morte em cada um. Nova Friburgo, felizmente, não sofre risco preocupante.A SECRETARIA da Saúde afirmou que não há epidemia da doença em nenhum município fluminense. O órgão destacou que estão sendo realizadas ações permanentes para combater a proliferação do mosquito e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, em fins de dezembro, a vacina contra a dengue. A vacinação será indicada para pessoas de 9 a 45 anos que moram em áreas endêmicas.

A PREFEITURA está engajada na campanha “10 minutos contra a dengue”, incentivando os cidadãos a checarem a presença de focos por toda a casa, em apenas dez minutos por semana,  para que se consiga acabar com o mosquito da dengue. A doença, que virou epidemia em anos anteriores no Rio, até agora não foi debelada, tem mobilizado autoridades federais estaduais e municipais e mostrou que o desleixo aliado à desatenção da população com os métodos preventivos não dependem apenas das responsáveis oficiais.

É INCORRETO afirmar que o mosquito da dengue não sobe a serra. Tal fato ocorre porque a temperatura não faz diferença nem se torna uma blindagem contra o avanço da doença. O que impede a doença é a prevenção, que vem sendo feita não apenas pelos agentes de saúde, mas também pelo grau de conscientização da população. A dengue ainda provocará muitos casos, inclusive de morte, exigindo-se, portanto, medidas curativas e preventivas, para que neste ano a população não venha a sofrer novos transtornos.

A CADA chuva aumentam os focos de transmissão, o que poderá também ocorrer em Nova Friburgo. Apesar de estarmos ainda no início do verão, o trabalho de prevenção deve continuar permanentemente. Afinal, o mosquito não tem hora nem vez para atacar e não respeita as faixas econômicas da população. Todo o cuidado é pouco.

TAGS: