O crescimento da cerveja artesanal em Nova Friburgo

A Bacia Hidrográfica Rio Dois Rios oferece o clima perfeito para a produção da bebida
sábado, 16 de setembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
O crescimento da cerveja artesanal em Nova Friburgo

Com mais de cinco mil anos de história, a cerveja faz parte da vida da sociedade. Sofreu diversas transformações ao longo do tempo e, hoje, é admirada e apreciada no mundo todo, e em Nova Friburgo não é diferente. Desde o século XIX, já foram contadas inúmeras iniciativas em relação ao produto.

A cerveja artesanal ganhou força na cidade nos últimos anos. Um dos marcos do aumento de produção e consumo desse produto, por exemplo, foi a aprovação da lei municipal 1.209/15 de incentivo à indústria, que trouxe diversos produtores, investimentos para a região e conferiu às pequenas cervejarias um tratamento tributário diferente.

Desde a fabricação da primeira cerveja na cidade, a “Friburgo Brau”, pelo cervejeiro alemão Albano Beauclair, surgiram inúmeras marcas: Cerveja Suspiro, que era produzida no final do século XIX; a Cerveja Bräun&Bräun, que surgiu em 2009; e nos dias atuais, temos a Buzzi, VegBier, W-Kattz, Dual Bier, e diversas outras.

Devido à popularidade da cerveja artesanal, foi apresentado ao deputado Wanderson Nogueira a ideia de reconhecer o recorte geográfico da Bacia Hidrográfica Rio Dois Rios como um Polo Cervejeiro Artesanal de Nova Friburgo e Região, através do Projeto de Lei 3308/17.

O Projeto de Lei 3308/17

A Bacia Hidrográfica Rio Dois Rios oferece o clima perfeito para a produção da cerveja, além da água pura que confiará qualidade ao produto. “Quando não se tem uma instalação de boa qualidade, o processo da produção da cerveja cria uma etapa a mais: o tratamento da água”, afirma Sérgio Paiva, diretor executivo da Associação da Indústria Cervejeira de Nova Friburgo e Região.

Atualmente, existem três municípios na região que possuem a presença da indústria: Nova Friburgo, Santa Maria Madalena e Duas Barras. A lei, caso seja sancionada, reconhecerá o potencial da indústria na cidade, o que dará visibilidade ao movimento. Segundo Sérgio Paiva, com o reconhecimento do polo, a cerveja artesanal “passa a existir aos olhos do estado, que então poderá implantar políticas de incentivo para o segmento”.

Além dos benefícios econômicos, o turismo só tem a ganhar com a criação do Polo Cervejeiro. “A atividade da cerveja artesanal é indutora de outros segmentos, como a gastronomia e o turismo. Hoje, é comum visitar as fábricas de cerveja de Nova Friburgo e encontrar pessoas usufruindo do lugar e do produto, e isso faz com que essas pessoas, que estão vindo de fora em sua maioria, usufruam da nossa hotelaria e gastronomia e visitem nossos pontos turísticos, tudo isso em nome da cerveja”, explica Sérgio.

Treinamento

Além do projeto de lei, também está sendo criado um Treinamento de Brigada, que será realizado pela Associação da Indústria Cervejeira de Nova Friburgo e Região (Beer Alliance) em parceria com a Associação Comercial de Nova Friburgo. A ação consiste em treinar os funcionários dos pontos de venda para que entendam os consumidores finais da cerveja artesanal e passem o conceito do produto para o cliente, distinguindo, assim, as cervejas produzidas em maior escala.

Segundo o presidente da Associação Comercial, Flavio Stern, “a Acianf e a Beer Alliance de Nova Friburgo e Região têm o objetivo de tornar a cerveja artesanal um conceito sólido, fortalecendo o turismo para a região e movimentando a cidade”.

 

TAGS: Acianf