Novo álbum de Arnaldo Miranda tem clarineta, flauta e violão

Instrumentistas e arranjadores jovens e veteranos interpretam 18 temas de sua autoria
quarta-feira, 13 de junho de 2018
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Novo álbum de Arnaldo Miranda tem clarineta, flauta e violão

O poeta, dramaturgo e compositor friburguense Arnaldo Luis Miranda lança mais um álbum musical, dessa vez duplo, intitulado "Clarineta Flauta & Violão ― voumes. 1 e 2", com participação de instrumentistas e arranjadores jovens e veteranos, interpretando 18 temas de sua autoria.

A obra já está disponível no canal da Cia do Ar. ações em cultura, no You Tube. Basta acessar a playlist para conhecer o novo trabalho, e em breve, também, nas principais lojas virtuais de música. "Estamos em conversação com novas integradoras interessadas no trabalho do artista", informou Márcia T., gerente de projetos da Cia do Ar.

Sobre os convidados

O álbum tem como intérpretes principais o clarinetista Marco Moreira (o Chiquinho, antigo spala da Campesina Friburguense), os flautistas Guilherme Tardin (18 anos, jovem talento descoberto pela Euterpe Friburguense) e o experiente Maycon Lack, friburguense atualmente radicado em Belo Horizonte, de onde veio para participar da nova produção.

"Trabalhar com o Arnaldo? Como diria o nosso queridíssimo Wilson das Neves, ô sorte!...", responde o músico quando indagado sobre se deslocar da capital mineira para a serra fluminense. "É só chamar que já estou aqui", diz, sorridente, ele que participa dos discos de Arnaldo desde 2009, quando se conheceram.

Nos arranjos para violão, antigos e novos colaboradores do compositor, com destaque para o também compositor e arranjador Paulo Newton, um dos mais respeitados violonistas clássicos da cidade, há mais de 30 anos em atuação e amigo de longa data do poeta.

"Escrevi algumas partituras de canções do Arnaldo nos anos 1980 e de lá pra cá mantivemos contato e temos sempre trabalhado juntos em alguns dos seus ‘1001’ projetos. O homem é uma máquina de produzir música", brinca Paulinho.

Além de Paulo Newton, há arranjos de violão do próprio Ar. (apelido carinhoso do poeta), dos músicos Mauro Montezuma, Fernando Dias e Ney Velloso, os dois últimos participam também como instrumentistas em duas faixas, cada.

De Paulínea-SP vêm as performances do jovem violonista Bruno Piapora em três faixas. Outro grande instrumentista presente no álbum é Caio Márcio dos Santos, um dos mais promissores violonistas em atuação no Brasil, mestrando em composição e arranjo no Canadá. O time de violonistas completa-se com o exímio guitarrista Marcelinho Martins, da superbanda de jazz Tócaz.

Sobre o álbum

Segundo Arnaldo, a estrutura do álbum, que integra a Série Ar. Instrumental, registra o encontro da clarineta e da flauta com o violão, separadamente, em 12 faixas e, nas outras seis, os três instrumentos aparecem reunidos. Foi aí que entrou o trabalho do arranjador Anderson Erthal, um dos mais constantes parceiros do poeta, responsável pelos arranjos de madeira.

"Devo o registro e a formatação da minha obra, em grande parte, ao Andinho. Sempre que ele não está atarefado com suas múltiplas produções, costumo chamá-lo para os meus projetos. É um jovem amigo de longa data e uma das pessoas que melhor conhece a minha música. Às vezes, mais do que eu. Anderson Erthal escreveu as mais de 300 composições minhas e algumas sabe de cor”, revela Arnaldo.

O produtor musical e engenheiro de som Tiquinho Santos assina mixagem e masterização, gravado entre 2016 e 2017, e que inclui o aproveitamento de trilhas de álbuns anteriores do artista.

Sobre as partituras

"A novidade deste lançamento é que pela primeira vez a Flamingo Edições, nossa editora musical, vai disponibilizar todas as partituras para clarineta, flauta e violão do álbum duplo no site Tuttisheetmusic.com, de vendas online” informou Marcia T.

"O Anderson utilizou nessas 'partes' o formato Real Book, o mais usado internacionalmente por instrumentistas do jazz e de outros gêneros. Com isso, essa obra torna-se mais acessível aos estudantes 'around the world'. É música brasileira de qualidade para quem ama a música de verdade, pois se dedica ao seu estudo por toda a vida", reitera a gerente de projetos.

“Mais coisas vêm por aí, ainda no primeiro semestre”, avisa Márcia. “É aguardar para saber o que o nosso cavaleiro solitário, um criador entre música e poesia com um estilo muito intimista de ser, reserva para o público para os próximos meses. A equipe mantém sigilo, mas seus ‘fiéis escudeiros’, entre eles a veterana Lúcia Pouchain, designer oficial da trupe, responsável pelas capas dos álbuns e dos eBooks do artista, apontam novidades no horizonte”, acrescentou.

TAGS: