Nova Friburgo Futebol Clube comemora 100 anos de futebol

Tradicional clube do futebol amador friburguense recebe homenagens e distribui certificados a várias personalidades
sábado, 10 de dezembro de 2016
por Jornal A Voz da Serra
Time do Esperança em 1917
Time do Esperança em 1917

Neste domingo, 11, a partir das 10h, presidentes e diretores do Nova Friburgo Futebol Clube recebem amigos e convidados para festejar a fundação do Esperança Futebol Clube, e inaugurar as novas instalações de sua sede social, localizada na Rua José Eugênio Müller, 75, Centro.

Na verdade, serão celebrados 101 anos da fundação do Esperança Futebol Clube, em 5 de dezembro de 1915, que, na fusão com o Friburgo Futebol Clube, deu origem ao Nova Friburgo Futebol Clube.

Conforme explicou o presidente do Conselho Diretor, Luiz Fernando Bachini, nos 100 anos completados em 2015, não foi possível realizar uma festa à altura da história do futebol friburguense. “Então, a comemoração foi adiada para dezembro de 2016. Nesse sentido, todos os esforços foram envidados para realizar uma grande e emocionante solenidade”, disse.

“O sonho que virou Esperança, e a esperança que virou paixão. E foi eternizada quando houve a fusão com o Friburgo, para a formação do Nova Friburgo Futebol Clube. E assim, agora os esperancistas, entre idosos e jovens, se reúnem para comemorar o centenário de seu futebol, completado ano passado”, escreveu o repórter Vinicius Gastin, em matéria publicada na última quarta-feira, 7.  

Estão programadas homenagens a personalidades que fizeram parte da história da equipe, além de atrações musicais e muita confraternização

Um pouco de história

O Esperança Futebol Clube foi fundado por operários, e tornou-se um dos clubes mais vitoriosos da história do futebol amador de Nova Friburgo. A equipe verde e branca foi campeã municipal em 1931, 1939, 1941, 1943, 1944, 1948, 1955, 1961 e 1976.

Esta vitoriosa caminhada começou ainda no início do século 20, quando estudantes de várias partes do país migraram para Nova Friburgo e trouxeram a até então desconhecida bola de futebol. Os moradores do bairro Vilage passaram a frequentar o Colégio Anchieta e as tradicionais “peladas” foram disputadas no campo da escola. Estes foram os primeiros registros de esporte na cidade.

A brincadeira tomou proporções maiores e acompanhou o iminente crescimento do futebol no estado. As famílias Sertã, Spinelli e Van Erven estreitaram as relações e passaram a organizar os jogos. No dia 26 de abril de 1914, uma reunião no Hotel Salusse fundou oficialmente o Friburgo Futebol Clube, alterando o nome Friburguense Futebol Clube, utilizado até então por aquele grupo de jogadores.

Durante os primeiros anos, os duelos eram realizados na Avenida Galdino do Valle e na Rua Oliveira Botelho. Em 4 de setembro de 1922, o Friburgo passou a utilizar o estádio Raul Sertã, um espaço de nove mil metros quadrados.

O esquadrão vermelho e branco tornou-se o time a ser batido. Em 1915, o Friburgo goleou o União pelo placar de 11 a 0 e os dirigentes, insatisfeitos, responderam à derrota com a criação do Esperança Futebol Clube. Junto ao time esperancista, nasceu uma grande rivalidade que mais tarde, curiosamente, desencadearia a fusão.

Nomes que ajudaram a fazer essa história

Fundadores do Esperança F.C.: Adelino Salerno, Armando Ferreira, Antônio da Fonseca Coelho, Antônio Gonçalves de Mello, Alfredo Marques de Oliveira, Alfredo Pio de Oliveira, Admário Silva, Adolpho Ferreira Serpa, Arthur Guimarães, Carlos Rotay, Carlos Silvério, Contran Mury, Dídimo Manoel de Oliveira, Dionízio de Oliveira, Elias Marra da Silva, Elpídio Baltazar, Ernesto Tessarollo, Eugênio Costa, Ezídio de Assis, Feliciano Moreira, Francisco de Oliveira, Francisco Torres, Feliciano Moreira, Guilherme Bastos, Gumercindo de Oliveira, Horácio de Oliveira, Humberto Moraes, Henrique Raposo, Hermenegildo Falchetto, Januário Caputo, João Bazeti Júnior, João Cearense, João Gonçalves, José Cordoeira Neto, José Gonçalves, Jorge de Carvalho, José Guadagnini, José Vasques, Juvenal Folly, Manoel Gonçalves Neto, Manoel Ventura, Nelson Knust, Oscar Gonçalves, Octacílio Carvalho, Onézio Warol, Ricardo de Oliveira e Waldemar Reis.

Essas pessoas reuniram-se na Rua Visconde do Bom Retiro, atual Rua Moisés Amélio. O sócio-contribuinte número 1 foi João Bazeti.

A primeira diretoria foi constituída pela assembleia de fundação. O primeiro presidente foi Manoel Gonçalves Neto, o Zinho; o vice-presidente foi Dídimo Manoel de Oliveira, o tesoureiro, Gumercindo de Oliveira; e o secretário, Francisco de Oliveira. Os primeiros anos de vida do Esperança F.C. foram muito difíceis. O clube não contava com a simpatia nem a aprovação da burguesia, reunida pelo Friburgo F.C.

Dentre tantas histórias e curiosidades, há quem diga que a imprensa era contrária ao time. O jornal A Paz, ligado ao grupo do político liberal Galdino do Valle, fazia distinções entre os eventos patrocinados pelos dois clubes. O meio de comunicação era pródigo em elogios ao Friburgo F.C., o que não acontecia em relação ao Esperança F.C.

Durante uma assembleia realizada em 16 de setembro de 1973, foi aprovada a fusão com o E.C. Conselheiro Paulino. Exatamente seis anos depois - 16 de setembro de 1979 - uma nova fusão foi concretizada: Esperança F.C. e Friburgo F.C., dando origem ao Nova Friburgo Futebol Clube.

O resto é história, muita história, que pode ser pesquisada nas páginas de A VOZ DA SERRA, ao longo de seus mais de 70 anos de existência.  

TAGS: