No Dia do Médico, os muitos desafios desses trabalhadores abnegados

A VOZ DA SERRA consulta profissionais da rede pública municipal de Saúde para ouvir deles um diagnóstico do setor
quarta-feira, 18 de outubro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
No Dia do Médico, os muitos desafios desses trabalhadores abnegados

Nesta quarta-feira, 18 de outubro, celebra-se o Dia do Médico, profissional de total importância na vida de todo ser humano. Essa categoria, no entanto, enfrenta imensos desafios para exercer dignamente a profissão, principalmente em algumas unidades públicas de todo o país, devido a falta de estrutura, carência de pessoal e o aumento diário da demanda de pacientes que aglomeram-se em filas do Sistema Único de Saúde, sejam elas presenciais ou virtuais. Em Nova Friburgo, a possibilidade de reforço no quadro de pessoal com o processo seletivo em andamento surge como uma esperança por dias melhores para a categoria que almeja ainda melhores condições de trabalho, equipamentos e tecnologia na árdua, mas recompensante, missão de salvar vidas.

A VOZ DA SERRA consultou profissionais da rede pública municipal de Saúde, a fim de ouvir daqueles que sentem mais diretamente as carências do sistema qual o impacto que se pode esperar da incorporação destes profissionais aos quadros da pasta. A identidade das fontes foi preservada, a fim de livrar os depoimentos de qualquer constrangimento.

“Existe uma carência grande de profissionais em determinadas áreas, e também um grande contingente trabalhando de forma precária, no regime de RPA (Recibo de Pagamento a Autônomo). Vários destes profissionais ainda não receberam pelo serviço prestado em agosto, e todos sabem que terão seus vínculos encerrados no futuro próximo. Este novo processo seletivo ainda não resolve a situação. Primeiro, por ser temporário, e depois por oferecer número reduzido de vagas. Nós precisamos é que seja realizado o tantas vezes prometido concurso público da Saúde, e que estes novos concursados sejam efetivamente convocados”, afirmou um profissional do corpo médico do Raul Sertã.

Já para um integrante dos quadros da enfermagem, o impacto sobre nossas principais unidades de saúde será sentido. “Ainda que alguns destes profissionais não atuem diretamente em nossos hospitais, haverá impacto. É preciso reforçar os sistemas de prevenção e saúde da família para ‘desafogar’ o Raul Sertã, e esse processo seletivo dará alguns passos nesse sentido. Uma pena que ainda não seja o concurso definitivo que estamos todos aguardando”, avaliou.

 

TAGS: saúde