Médicos cubanos deixam Nova Friburgo em 2017

Profissionais que trabalham há dois anos serão substituídos por brasileiros. Edital prevê apenas uma vaga para a cidade
sexta-feira, 11 de novembro de 2016
por Alerrandre Barros
Médicos cubanos deixam Nova Friburgo em 2017

A maioria dos médicos cubanos que trabalham na saúde pública de Nova Friburgo vão embora no próximo ano. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, dos 16 profissionais contratados por meio do programa Mais Médicos, pelo menos 13 devem deixar o Brasil em fevereiro de 2017. O governo federal quer que as vagas oferecidas no programa sejam preenchidas prioritariamente por médicos brasileiros. 

“As vagas dos profissionais cubanos serão disponibilizadas primeiramente para médicos brasileiros. Caso não haja interesse de profissionais brasileiros, o governo federal disponibilizará as vagas para profissionais estrangeiros, incluindo os cubanos. Nos últimos editais, cada vez mais temos preenchido as nossas vagas com profissionais brasileiros”, informou a coordenadora do programa de Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Nova Friburgo, Ariádina Heringer. 

Os médicos cubanos chegaram a Nova Friburgo em meados de abril de 2014. Eles foram contratados pelo período de três anos para trabalhar na atenção básica da saúde, fazendo atendimentos nos postos e também nas casas de famílias e nas escolas. 

Atualmente, Nova Friburgo conta com 28 médicos do programa: 16 profissionais cubanos e 12 brasileiros, que trabalham em cerca de 17 unidades de saúde, nas regiões mais distantes do centro do município.

Com o término dos contratos no próximo ano, 13 cubanos deixarão os postos de Olaria, Lumiar, Mury, Stucky, Conselheiro Paulino, Riograndina, São Geraldo, Campo do Coelho e Conquista. A grande maioria, porém, gostaria de continuar no Mais Médicos. 

Uma pesquisa nacional realizada pela Universidade de São Paulo (USP) e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) com os médicos intercambistas mostrou que 98% manifestaram interesse em permanecer no país.

“Todos os médicos do programa Mais Médicos desenvolvem um ótimo trabalho em nosso município. Não há diferença na qualidade de atendimento do profissional brasileiro para o estrangeiro, pois todos os cooperados cubanos possuem experiência e especialização em atenção primária”, disse Ariádina Heringer.

Novas contratações

Na última sexta-feira, 11, o Ministério da Saúde lançou um edital para chamar 1.004 médicos brasileiros para atuarem no programa Mais Médicos em 462 municípios brasileiros. Há somente uma vaga para Nova Friburgo. 

A intenção do governo federal é substituir 838 vagas ocupadas no Mais Médicos por profissionais cubanos e repor 166 cargos de médicos que desistiram do programa.

A meta do governo federal é chegar a quatro mil substituições de médicos da cooperação com a Opas por brasileiros em três anos, reduzindo de 11,4 mil para 7,4 mil participantes cubanos. Para isso, o Ministério da Saúde quer atrair os brasileiros ofertando vagas em locais que estão entre as opções mais escolhidas por esses candidatos nas últimas seleções e que, atualmente, são ocupadas por cubanos do 1° e 2° ciclos do programa. 

No primeiro edital após a reformulação do projeto, as oportunidades estão, em sua maioria, localizadas em capitais, regiões metropolitanas e em municípios com mais de 250 mil habitantes. Outra novidade é que o médico terá 15 dias para permutar sua vaga com outro profissional selecionado. 

Com isso, os candidatos terão mais uma chance de o médico garantir atuação onde deseja entre as cinco opções que podem fazer. A cada três meses, um edital trará novas vagas.

“São postos mais atraentes e ainda há a possibilidade de permuta dos selecionados, que é a novidade do edital. Nosso esforço é no sentido de que os médicos que entrem no programa permaneçam o máximo de tempo possível, para se integrar à comunidade, conhecer as famílias”, ressaltou o ministro da Saúde, Ricardo Barros. 

O governo federal quer 7.800 brasileiros no Mais Médicos, número que representa mais de 40% do total de profissionais no programa. Atualmente, dos 18.240 médicos participantes, 5.274 são formados no Brasil (29%), 1.537 têm diplomas do exterior (8,4%) e 11.429 são da cooperação com a Opas (62,6%). De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 63 milhões de pessoas são assistidas por esses profissionais. 

As inscrições para o Mais Médicos serão realizadas entre o próximo dia 20 e 23 de dezembro. As vagas que não forem preenchidas por médicos brasileiros com atuação no país serão ofertadas aos brasileiros formados em qualquer país. Em 2015, todas as vagas oferecidas foram ocupadas por médicos brasileiros, segundo o Ministério da Saúde. 

O programa Mais Médicos oferece aos profissionais bolsa-formação mensal de R$ 11.520, R$ 30 mil para o médico que optar por uma vaga longe da cidade onde reside, auxílios moradia e alimentação garantidos pelos municípios mensalmente, além de curso de especialização em saúde da família por uma universidade federal ou estadual vinculada à Universidade Aberta do SUS (Una-SUS). 

TAGS: Mais Médicos | saúde