Imprudência sobre rodas

terça-feira, 21 de julho de 2015
por Jornal A Voz da Serra

UM ACIDENTE automobilístico provocou, na tarde de domingo, um longo engarrafamento em Mury, interditando por horas o trânsito na RJ-116. Tal incidente se soma a outros tantos nas cidades brasileiras, causados, em sua grande maioria, por culpa de motoristas quase sempre apressados e descuidados.

SURPREENDEM pela selvageria e descontrole emocional os inúmeros casos que, quase sempre, acabam mal para alguma parte. Mortes e danos irreversíveis pontuam os acidentes nas cidades brasileiras, a maioria ligada à bebida, que, mesmo com a proibição nas estradas ainda são vendidas em bares e restaurantes a quem quiser. 

A IMPRUDÊNCIA tem sido o maior fator dos acidentes, gerando uma onda de violência preocupante. A velocidade, comungada com a bebida, não dá certo. E não adianta a fiscalização nas estradas, pois a mesma é insuficiente para coibir a combinação. Apesar de tudo, a Polícia Rodoviária Federal aponta um aumento dessas infrações. Resultado: mais acidentes, mais prisões.

PESQUISA revela que quem descumpre o Código do Trânsito Brasileiro não liga para as consequências. Para os motoristas, as ruas são um campo de batalha, no qual cada um se vira como pode. O importante é levar vantagem. É preciso reverter já este triste quadro em nome da segurança de todos, motoristas ou não. 

POR CAUSA da irresponsabilidade de alguns, não se pode afirmar com segurança que retornaremos para os lares ao fim do dia. Isto vale para o trabalhador, o estudante ou o idoso. A imprudência atinge não apenas os motoristas e hoje milhares de pessoas terminam vitimadas pelo erro dos outros.

O ASSUNTO não se esgota num noticiário ou numa decisão legislativa, como desejam as autoridades. Faz parte do contexto moderno, no qual o automóvel se transforma num patrimônio que deve ser respeitado e não utilizado como arma na luta diária do trânsito. O compromisso não é só da autoridade. É de cada um que se senta ao volante.

 

TAGS: