Hemocentro de Friburgo retoma coleta de sangue

Unidade ficou uma semana sem bolsas para realizar procedimentos
terça-feira, 16 de outubro de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Hemocentro de Friburgo retoma coleta de sangue

Depois de ficar pelo uma semana sem realizar coletas de sangue por falta de bolsas coletoras, o Hemocentro Região Serrana, em Nova Friburgo, voltou a fazer o procedimento desde a última segunda-feira, 15. Uma remessa de 450 bolsas foram entregues pelo fornecedor no fim da última semana, o que possibilitou a retomada das coletas.

O caso veio à tona na última quarta-feira, 10, depois que um doador esteve na unidade e não pode doar por conta da falta de bolsa de sangue. Conforme noticiou A VOZ DA SERRA, ele procurou o Ministério Público estadual em seguida e protocolou a denúncia. Segundo o denunciante, antes de ficar sem bolsas de coleta, o hemocentro estava utilizando material compartilhado pela unidade de saúde de Teresópolis, uma vez que, até então, não havia sido feita nenhuma aquisição de bolsas por parte da Secretaria Municipal de Saúde de Nova Friburgo para suprir a necessidade da unidade local.

Na última quinta-feira, 11, a prefeitura informou “que a licitação para aquisição dos insumos destinados ao hemocentro já está em curso visando evitar possíveis novos desabastecimentos”. Para suprir a necessidade imediata da unidade e restabelecer a coleta de sangue, uma remessa de 450 bolsas seriam entregues pelo fornecedor na ocasião.

No mês passado, o hemocentro ficou uma semana sem poder realizar coleta por conta da falta de reagentes químicos necessários à análise da compatibilidade sanguínea. A falta do material interrompeu a coleta de sangue no dia 6 de setembro. Na ocasião, o baixo estoque culminou na suspensão de transfusões de sangue e afetou a realização de cirurgias no Hospital Municipal Raul Sertã.

Para tentar minimizar a situação, a Secretaria Municipal de Saúde acionou os bancos de sangue de hospitais particulares de Nova Friburgo para evitar a suspensão de cirurgias no Raul Sertã. A situação só foi regularizada no dia 17.

 

TAGS: saúde