Grupo de Friburgo bate recorde com o maior cordão de anéis de latinhas do Brasil

Voluntários juntam peças para trocar por cadeira de rodas e presentear pessoas necessitadas
domingo, 21 de maio de 2017
por Guilherme Alt
O Bloco da Jurema no carnaval deste ano: recorde brasileiro (Foto: divulgação)
O Bloco da Jurema no carnaval deste ano: recorde brasileiro (Foto: divulgação)

As campanhas e projetos que ajudam pessoas carentes e/ou com necessidades especiais estão espalhadas por todo o país. Em Nova Friburgo, pessoas que dedicam seu tempo e parte da renda para ajudar quem não tem condições inspiram que cada vez mais outras possam aderir às práticas solidárias. Muitas dessas práticas podem ser feitas, inclusive, nos momentos de lazer. É o caso de pessoas e grupos que juntam anéis de latinhas para trocar por uma cadeira de rodas. O projeto não é novidade no país, mas muita gente desconhece sua existência. Em Nova Friburgo, dois grupos se destacam na ajuda para armazenar essas anilhas: Bloco da Jurema e Rotaract Club Nova Friburgo.

Formado há três, o Bloco da Jurema costuma desfilar no Carnaval de Nova Friburgo e tem como principal objetivo mostrar seu trabalho de assistencialismo ao armazenar as anilhas de latinhas para, futuramente, trocar pela cadeira de rodas. “Nós ajudamos instituições ou pessoas que precisam de uma cadeira de rodas, mas não têm condições de comprar. Sabemos que o equipamento é caro, mas contamos com apoio de pessoas para juntar os anéis e efetuar a troca”- conta o presidente do bloco, Márcio Antônio de Assis.

Segundo Márcio, são necessários cerca de 460 mil lacres para trocar por uma cadeira de rodas. Os lacres costumam ser armazenados em garrafas pet. Em média, são necessárias 140 garrafas pet de 2L para armazenar todos os anéis.

No carnaval desst ano, o Bloco da Jurema levou mais de 500 pessoas para a Avenida Alberto Braune. O desfile contou com a apresentação de cadeiras de rodas que os apoiadores do bloco conseguiram comprar através de seus patrocinadores e da troca das anilhas. De acordo com o presidente, o Bloco da Jurema conquistou uma importante marca em 2017. “Fizemos um cordão de anilhas com 110 metros de comprimento, constituído de 99 mil lacres. Por conta deste fato, nós conquistamos o recorde como o maior cordão de anilhas do Brasil. Em março, recebemos o troféu do RankBrasil como forma do reconhecimento desse recorde.”

O Bloco da Jurema deve fechar uma parceria com o Lacre Amigo – instituição voltada para arrecadação de lacres e alumínio. Em sua página na internet o Lacre Amigo tira dúvidas sobre o processo para arrecadação e dúvidas a respeito dos motivos de só se utilizar as anilhas das latinhas. De acordo com o site,”muitos se perguntam por que somente o lacre da latinha é utilizado e não ela inteira. Primeiro, porque o manuseio do lacre é mais simples e ocupa menos espaço para armazenar do que latinhas. Para ter uma ideia, 30.000 lacres de alumínio cabem em 10 garrafas pets de 2 litros e equivalem a quase 1.000 latinhas de alumínio. Em segundo lugar, a liga de alumínio do lacre tem teor de magnésio maior que o a da latinha. Dessa forma, separando o lacre evita-se que a mistura dos dois tipos de alumínio contamine o alumínio reciclado.”.

O Rotaract Club Nova Friburgo congrega pessoas que acreditam que podem ajudar a construir um futuro melhor para o mundo. São 29 jovens, entre 18 e 30 anos, que dedicam parte do seu tempo para prestar assistência à comunidade carente. Desde março, o grupo adicionou mais um projeto social ao currículo e começou a juntar os anéis de latinhas de alumínio. A presidente do Rotaract, Laís Abrunhosa, afirma que ainda não juntou anilhas suficientes para trocar por uma cadeira de rodas, mas que o projeto soma com outros realizados pelo grupo. “Nós podemos realizar qualquer tipo de ação social, desde que seja benéfica para a comunidade na qual está sendo realizada. Os projetos podem ser apresentados ao Rotaract, ou podem ser criados por próprios rotaractianos que identificam a necessidade.”. O trabalho é voluntário e as ações são beneficentes, sem fins lucrativos.

O Rotaract organiza diversos projetos sociais na cidade, em diferentes segmentos. “Nós temos projetos anuais, o Natal no Laje, o Estrogonofe Solidário na Apae, Páscoa na Casa de Acolhimento Vila do Sorriso. Estamos sempre desenvolvendo e realizando alguns projetos pontuais também, como entrega de chocolates em escolas públicas carentes”. De acordo com Laís, o grupo pretende continuar a realizar ações para mudar a realidade friburguense. “Nós queremos ajudar qualquer instituição carente e/ou que realize trabalho comunitário. A gente costuma receber doações, também. Aceitamos toda forma de ajuda.”, convida.

Há três anos o técnico de segurança do trabalho Rafael Cabral junta as anilhas de latinhas. Rafael conta que durante esse tempo conseguiu encher três garrafas pet de 2L. “Aparentemente é um número baixo, mas em cada garrafa cabem cerca de três mil lacres. E eu juntei praticamente sozinho.”, comemora.

“Cada anilha recolhida é válida”, afirma Rafael. Sempre que pode pede a ajuda da família e amigos. Segundo Rafael, o importante é ajudar o próximo. “Devemos nos colocar no lugar do outro. Não custa nada separar o anel da lata. Pra nós não aparenta ser grande coisa, mas pra quem recebe a ajuda é um feito. Chega a ser uma grande mudança na vida da pessoa”, diz. Rafael é um dos colaboradores do Bloco da Jurema. Sempre que enche uma garrafa, vai até a Rua Monte Líbano, na Chopperia Monte Líbano, para entregar as anilhas.

 

TAGS: latinhas | social