Ganhar e pagar

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015
por Jornal A Voz da Serra

O PAGAMENTO do 13º salário está dando fôlego ao comércio para as vendas de fim de ano. Cerca de R$ 85 bilhões deverão entrar no bolso de 69,9 milhões de trabalhadores brasileiros, aquecendo a economia em dezembro. Desse total, uma parte ficará no comércio, que apesar da crise econômica nacional espera um resultado ainda que modesto em relação ao ano anterior. Menos mal.

PORÉM, na contramão das expectativas positivas, a maior parte dos trabalhadores vai utilizar o dinheiro para saldar dívidas. De acordo com pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), os consumidores afirmaram que usariam o pagamento para se livrar de contas atrasadas.

A QUITAÇÃO DE dívidas será o destino do 13º salário de 74% dos assalariados em 2015, segundo pesquisa da Anefac. Em relação ao ano passado, houve um aumento de 8,8% no percentual de trabalhadores com esse objetivo. Entre os que vão pagar as dívidas, 83% dos consumidores têm obrigações contraídas no cheque especial e no cartão de crédito e pretendem utilizar os recursos para estar regularizando as mesmas.

O CARTÃÕ DE crédito é a linha de crédito com maior peso na composição das dívidas em aberto dos consumidores tendo atingido em 2015, 44% do total, um crescimento de 2,33% sobre 2014 contra 39% do cheque especial segundo a entidade. Isso demonstra maiores dificuldades e preocupações dos consumidores com os gastos neste ano.

A LIBERAÇÃO das parcelas do 13º salário, de qualquer forma, injetará mais recursos à economia friburguense e certamente vai beneficiar os comerciantes da cidade. Muitos trabalhadores estão preferindo quitar dívidas a fazer novas prestações, mas a entrada de dinheiro na economia traz um novo alento. Sufocado pelos impostos e altas taxas de juros, o comércio vê no período uma saída para honrar seus compromissos e continuar mantendo a grande massa trabalhadora empregada.

O MOVIMENTO das compras de fim de ano é um bom indicador da nossa economia. Ainda que fatores estruturais da economia causem transtornos aos consumidores, estes encontram no comércio friburguense opções de qualidade e bom preço. É só aproveitar as melhores oportunidades. O Natal, pelo que esperam os lojistas, poderá superar as expectativas. Vamos aguardar.

TAGS: