Friburgo volta a dar votação expressiva a Bolsonaro

Candidato do PSL derrota petista por 72% a 27%; abstenções na cidade ficaram acima da média
segunda-feira, 29 de outubro de 2018
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
A comemoração da vitória do PSL na Praça Dermeval Barbosa (Fotos: Sergio Folly)
A comemoração da vitória do PSL na Praça Dermeval Barbosa (Fotos: Sergio Folly)

A intensa mobilização de militantes observada nas ruas de Nova Friburgo nos últimos dias, em busca de uma virada com a ajuda dos indecisos, não foi suficiente para mudar o quadro eleitoral na cidade. No segundo turno de votação, desta vez sem frio nem chuva, 71.859 friburguenses elegeram Jair Bolsonaro (PSL) presidente do Brasil neste domingo, 28. O candidato do PT, Fernando Haddad, recebeu 26.805 votos.

Bolsonaro teve a vitória confirmada por 72,83% dos votos válidos - no primeiro turno teve 62,87%, ou 63.477 votos. Haddad, que não chegou a ser o segundo nas preferências do eleitorado friburguense no primeiro turno, quando ficou em terceiro lugar, atrás do pedetista Ciro Gomes, subiu de 10,19% para 27,17%. Brancos e nulos totalizaram 15.521 votos.

Tão logo a vitória foi anunciada na TV, buzinaços e fogos de artifício ecoaram pelo Centro da cidade. Assim como em outras cidades, uma carreata espontânea movimentou o Centro e uma multidão com bandeiras do Brasil se aglomerou em frente à sede da prefeitura e na Praça Dermeval Barbosa Moreira. A festa durou até tarde da noite, sem incidentes.

Para governador, o município também deu ampla vantagem ao candidato Wilson Witzel (PSC): ele foi eleito com 62.737 votos, 69,85% dos válidos. Foi o dobro de Eduardo Paes (DEM),  que recebeu 27.084 votos, 30,15% dos válidos. No primeiro turno, Wintzel recebera 41.937 votos (47,46%), contra 11.559 (13%) de Paes. Desta vez, brancos e nulos para governador totalizaram 24.337 votos.

25% não votaram

Compareceram às urnas 75% dos 151.949 eleitores cadastrados em Nova Friburgo. O total de abstenções, brancos e nulos na cidade ficou ligeiramente acima do registrado no estado e no país.

Nova Friburgo ocupa a  14ª posição do ranking de colégios eleitorais do estado do Rio, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). De 2014 para agora, o eleitorado friburguense teve um aumento de 1,8%, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O eleitorado friburguense é formado em maior parte por mulheres: 80.248 mil (52,8%), enquanto os homens somam 71.491 (47,1%). Do total de eleitores, 61,6% são solteiros, e 31,7% casados.

Os adultos dos 30 aos 59 anos são a maior parte dos eleitores no município - 82.922 mil -, o que corresponde 54,5% do eleitorado. Em seguida vêm os jovens, de 16 a 29 anos, que reúnem 56.580 mil eleitores (37,2%). Já os idosos, com mais de 60 anos, totalizam 37.967 votantes. Outra curiosidade sobre o eleitorado friburguense: a cidade tem cadastrados apenas 191 eleitores com 16 anos e 571 com 17.

Segundo o TRE-RJ, a totalização dos votos no estado foi concluída às 20h15, sendo a apuração mais rápida entre os tribunais de maior porte. O presidente do TRE, desembargador Carlos Eduardo da Fonseca Passos, fez um balanço positivo do segundo turno. Ele destacou que o pleito foi marcado por "um número reduzido de incidentes registrados e uma maior fluidez da condução dos trabalhos e no exercício do direito de voto por parte do eleitor", o que decorreu da "conjugação de diversas medidas que foram implementadas, a partir de um trabalho proficiente desenvolvido pelos servidores e colaboradores desta Justiça Eleitoral".

Em relação à substituição de urnas, foram registradas 627 ocorrências, o que corresponde a apenas 1,6% do total de urnas preparadas para o pleito. Dessas, 313 foram na capital, 53 em Nova Iguaçu e 40 em São João de Meriti. Na seção 90 da 148ª Zona Eleitoral, em Magé, a votação precisou ser feita de forma manual após a urna eletrônica apresentar defeito. No primeiro turno, o número final de urnas substituídas foi 990.

 

TAGS: eleições