Friburgo tem a melhor posição entre admissões e demissões na Serra

Mais de 600 postos de trabalho foram abertos de janeiro a setembro, enquanto Petrópolis e Teresópolis amargam resultado negativo, segundo o Ministério do Trabalho
quarta-feira, 25 de outubro de 2017
por Karine Knust
Friburgo tem a melhor posição entre admissões e demissões na Serra

Para muitos economistas, o país ainda pode estar longe de sair completamente da crise. Mas uma coisa é fato: em alguns aspectos, a situação começa a dar sinais de melhora. É o caso de Nova Friburgo, por exemplo, que saiu de um saldo negativo na variação entre número de admissões e desligamentos (-693) entre janeiro a setembro de 2016, para um resultado positivo no mesmo período deste ano (656). Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Enquanto o município dá sinais positivos em relação ao mercado de trabalho, os outros dois maiores municípios da Região Serrana, Teresópolis e Petrópolis, ainda amargam variação negativa. Teresópolis, por exemplo, melhorou seu resultado em relação ao mesmo período de 2016, mas ainda permanece fechando postos de trabalho. De janeiro a setembro do ano passado foram 338 postos a menos, já este ano, 271. O setor com maior queda em 2017 foi o da construção civil (-470), já o que fechou o período com postos abertos foi o de serviços (179).

Em Petrópolis, os números estão ainda piores. Se em 2016 o município imperial contabilizou 817 postos de trabalho a menos, em 2017 esse número saltou para menos 1.032. Ainda segundo o Caged, por lá, todos os setores - exceto o de serviços (com 124 novos postos) - tiveram resultado negativo ou não apresentaram nenhuma admissão.

Em Nova Friburgo, a maior variação positiva entre admissões e desligamentos de janeiro a setembro de 2017 foi no setor da indústria da transformação, com 769 novos postos abertos. Já os setores de administração pública e construção civil foram os que apresentaram o pior resultado, com menos 139 e 92 postos de trabalho, respectivamente.

Indústria em números

 A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) divulgou a edição de outubro da Carta da Indústria. Além de diversas entrevistas, a publicação destaca um panorama sobre o setor da indústria no estado. De acordo com o levantamento, dentre os setores que mais apresentam alta estão a metalurgia (25,2%) e fabricação de produtos de metal (7,5%), bastante presentes em Nova Friburgo. Apesar do resultado positivo no mercado de trabalho friburguense, a baixa nas cidades de Teresópolis e Petrópolis têm deixado a Região Serrana com saldo negativo, menos 637, até agosto. Número que se somado ao das demais regiões, gera um saldo de menos 20.614 postos de trabalho em todo o estado.

A expectativa de número de empregados para os próximos seis meses ainda é vista com pessimismo por boa parte dos empresários industriais, mesmo assim, ainda segundo levantamento, o índice de confiança no mercado permanece positivo (50,2%).

 

TAGS: Emprego | Crise