Friburgo ganha um castelo gótico: o Arautos do Evangelho

Sede ainda vai demorar a ficar pronta, mas Capela de Nossa Senhora de Fátima será inaugurada em outubro
sábado, 15 de setembro de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)

 

No alto do Vale dos Pinheiros, ao pé das Catarinas, uma construção em forma de castelo tem intrigado muita gente. Não é de conhecimento de todos os friburguenses e, para sanar todas as dúvidas, A VOZ DA SERRA desvenda o misterioso castelo que se ergue por lá. O Arautos do Evangelho é uma associação católica privada de fiéis de direito pontifício. Com sede em Nova Friburgo, no Parque São Clemente, a ordem é a responsável pelo misterioso castelo.

A convite do padre Lourenço Ferronatti, visitamos as obras da futura sede dos Arautos do Evangelho, em Nova Friburgo. Apesar dos sons de furadeira, martelo e serra, o local já passa a sensação de espiritualidade, calmaria e de introspecção. Com uma área de 3.600 metros quadrados, a edificação comportará cerca de 30 arautos, tendo 30 cômodos, entre particulares e de convívio mútuo. “Desde que chegamos em Friburgo, nosso desejo era construir um espaço que fosse nosso. Ganhamos uma doação, adquirimos esse terreno, há cerca de nove anos, corremos atrás da parte burocrática, da legalização da obra e há três anos as obras começaram”, contou o padre Lourenço.

Já popularmente apelidada de “castelo” a nova sede é elogiada por àqueles que a contemplam do lado de fora. “Nos agrada ouvir elogios sobre a construção e saber que as pessoas acham o prédio bonito. É uma construção baseada no estilo gótico medieval e procuramos unir às cores. Nós fazemos os desenhos e coisas que acabam embelezando ainda mais a construção e os detalhes do acabamento”, disse o religioso.

Capela Nossa Senhora de Fátima

Com previsão para ser inaugurada no dia 13 de outubro, a Capela Nossa Senhora de Fátima da Casa dos Arautos do Evangelho, está quase pronta. Ela fica anexa a sede e a inauguração se dará em meio às obras. “Nosso fundador sempre nos ensinou que o principal deve ser feito em primeiro lugar. Antes da casa dos homens, a casa de Deus. Por isso dedicamos todo empenho para terminarmos a capela. No próximo dia 13 de outubro completa-se o centenário da última aparição de Fátima. Celebraremos uma missa para inaugurar a capela e receberemos a visita do no bispo diocesano Dom Edney Gouvêa Mattoso que vai dedicar o altar e abençoar a capela”, informou o padre Lourenço.

Uma das principais preocupações dos Arautos do Evangelho é mostrar, através do trabalho feito à mão, em cada detalhe, o amor de Deus por nós. “Nós temos procurado além da parte artística, arquitetônica, colocar os nossos sentimentos na decoração. Tudo aqui é feito com muito carinho. Todo o teto da capela, detalhes da própria sede, será pintado à mão. Através da pintura procuramos transmitir um pouco àqueles que entrarão no local o quanto Deus nos ama e quanto nós devemos amá-lo”, explicou.

Valorização do produto nacional e trabalhos sociais

Na construção da sede a prioridade é valorizar o produto nacional. “As pedras usadas para revestir o piso vieram do Espírito Santo e do Nordeste. No altar, temos pedras do tipo ônix verde e mel (vindas de Mariana-MG), pedras que foram trabalhadas por artistas, produzindo um retábulo onde ficará a imagem de Nossa Senhora de Fátima”, disse o padre Lourenço.

O Arautos do Evangelho tem uma marcenaria em sua sede. No local, além da confecção de material utilizado nos presépios, são feitas portas, janelas, armários, mesas e outros artefatos mobiliários que irão decorar e compor a nova sede. “Toda a parte de madeira é feita por nós e no nosso futuro novo espaço, teremos um local mais amplo para todo o maquinário”, explicou o religioso.

Os trabalhos sociais desenvolvidos pela Ordem também serão transferidos para o alto do Vale dos Pinheiros. “Principalmente os trabalhos com a juventude através do Projeto Futuro e Vidas nas escolas onde damos uma base, uma formação para que as crianças tenham um futuro melhor”, completou o padre.

O tradicional presépio

A sala do presépio será maior do que a atual. Serão 50 lugares para o público poder apreciar e prestigiar o espetáculo anual do Natal do Menino Jesus. A exibição da atração que encanta a todos no novo palco está reservada para o ano que vem. Este ano o presépio ainda será exibido na sede que fica no Parque São Clemente. “Tivemos uma preocupação de reservar uma área mais ampla, inclusive, para a construção do presépio, onde poderemos receber os turistas, os friburguenses e todos aqueles que quiserem nos visitar. Para este ano, estamos fazendo pequenos reparos, vamos manter algo do ano anterior, mas já estamos preparando as novidades”, acrescentou o padre.

Enquanto percorríamos os corredores, em meio às obras, nosso fotógrafo Henrique Pinheiro “matou a charada” sobre a localização da nova sede. Era de costume que os castelos medievais estivessem localizados sempre no mais alto ponto geográfico, para aproveitar ao máximo a luz do sol. Padre Lourenço confirmou que a ideia dos tempos passados foi a inspiração para a construção da sede.

“Nós percebemos que, naturalmente, já estão chamando essa construção de “castelo”, embora não tenha sido essa a nossa intenção ao edificá-lo. Pelo formato das torres e do telhado, lembra sim os antigos castelos medievais. Escolhemos essa localização por ser mais reservada, apesar da proximidade com o centro da cidade, para os nossos momentos de recolhimento e de oração. Procuramos nos utilizar da iluminação natural, não só pela questão da luminosidade, como também sabemos dos benefícios da luz do sol para nossa vida. Tudo isso foi pesado e medido”, afirmou.

Feijoada dos Arautos

Neste domingo, 16, uma missa será realizada na sede atual dos Arautos do Evangelho (Rua Milton Andrade, 25 – Parque São Clemente – próximo ao estádio Eduardo Guinle) e a partir de meio dia, será servida uma feijoada. Os convites custam R$ 15 com renda revertida para as obras da instituição. Durante o dia, haverá sorteio de prêmios.

O centenário da última aparição de Nossa Senhora de Fátima

No dia 13 de maio de 1917, três crianças - Lúcia dos Santos (10 anos), Francisco Marto (9 anos) e Jacinta Marto (7 anos), afirmaram terem visto "uma senhora mais brilhante do que o sol" sobre uma azinheira de pouco mais de um metro de altura, quando pastoreavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, próximo a aldeia de Aljustrel (Portugal). Lúcia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco apenas via, mas não a ouvia.

A aparição da Virgem Maria repetiu-se nos cinco meses seguintes e foi portadora de uma importante mensagem ao mundo. Em 13 de outubro de 1917, a aparição apresentou-se-lhes como sendo "a Senhora do Rosário". Nossa Senhora pediu que fizessem ali uma capela e que rezassem o terço todos os dias pela redenção dos pecadores. Anunciou que a guerra iria terminar, mas que se o pecado permanecesse entre os homens viria outra guerra.

TAGS: