Expansão com atenção

terça-feira, 14 de julho de 2015
por Jornal A Voz da Serra
A PREFEITURA vem anunciando diversas obras de mobilidade urbana visando a fluidez do trânsito na cidade, sendo uma delas o rearranjo da Avenida dos Ferroviários como forma de melhorar o trânsito até o sexto distrito. A expectativa dos motoristas é grande, já que o engarrafamento permanente dos sete quilômetros do trecho da RJ-116 até o centro da cidade é um martírio de todos. O grande número de veículos transforma o percurso numa via-crúcis difícil de suportar.

Exclusão social, violência e drogas também marcam o distrito
NÃO BASTASSE o tumulto com as obras do governo estadual na rodovia, é inegável o crescimento industrial, residencial e comercial do distrito que concentra a maior fatia do Produto Interno Bruto do município. Lá estão instaladas empresas que empregam milhares de trabalhadores e geram renda para a população. Lá também vivem e estudam milhares de friburguenses.

PORÉM, inúmeros problemas ainda caracterizam as dificuldades estruturais para adequar o distrito à sua verdadeira importância econômica e social. Obras de infraestrutura, saúde, educação, meio ambiente, urbanismo, segurança, trabalho, lazer e moradia são alguns deles, mas existem outros cujo olhar político não enxerga, ou costuma não enxergar, e que invariavelmente são os grandes problemas da população.

EXCLUSÃO social, preconceito, drogas e violência são temas complexos que vão além do discurso dos políticos, principalmente no rol das promessas eleitorais, cujas respostas não estão nos gabinetes oficiais. A solução não é fácil e exige um esforço concentrado de todo governo comprometido com a valorização e a qualidade de vida da população.

HÁ ANOS os políticos não têm dado a atenção necessária a Conselheiro Paulino, que cresceu desordenadamente e até o momento nenhum governo se preocupou com a área em crescente expansão. Agora mesmo, a construção de mais de 2 mil residências no distrito, para os desabrigados da tragédia de 2011, causa impacto que o governo terá de se preocupar. Afinal, o distrito abriga novos milhares de habitantes.

O CRESCIMENTO e o progresso econômico de Nova Friburgo não estão somente nas mãos dos governos federal, estadual ou municipal. Políticas públicas de incentivo à produção certamente passam pelos gabinetes, porém, fazem parte de um todo, capitaneado pela iniciativa privada, que comprovará o sucesso ou o fracasso da nossa trajetória. Mas, acima de tudo, cabe ao governo oferecer as adequadas condições para esse desenvolvimento.

TAGS: conselheiro | Trânsito | economia | progresso