Eucaliptos da Praça Getúlio Vargas sofrerão nova poda em novembro

Operação será feita em dois domingos, dias 10 e 24, e ruas nos arredores serão fechadas
quarta-feira, 30 de outubro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Os eucaliptos centenários da Praça Getúlio Vargas (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
Os eucaliptos centenários da Praça Getúlio Vargas (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

Os eucaliptos centenários da Praça Getúlio Vargas vão sofrer novas podas de galhos secos e retiradas de ervas parasitas nos próximos dias 10 e 24 de novembro (dois domingos, das 7h às 14h30). A ação é um desdobramento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC 2, de 2015) firmado entre a prefeitura e o Ministério Público Federal que prevê a obrigatoriedade do município executar o manejo das árvores integrantes do “Conjunto Arquitetônico e Paisagístico” da principal praça friburguense. A ação visa também evitar acidentes com a queda de galhos, já que aproxima-se a temporada das fortes chuvas de verão. A poda será executada pelo Corpo de Bombeiros. 

As podas de limpeza, segundo a prefeitura, seguirão as diretrizes da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e terá o acompanhamento de técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável e equipes do grupo TAC da Praça). Além da retirada de galhos secos, o objetivo da operação é também eliminar ramos secos e mortos que perdem a sua função na copa da árvores.

A operação também irá seguir as Normas Brasileiras (NBR) – conjunto de regras técnicas relacionadas a documentos, procedimentos ou processos aplicados a empresas ou determinadas situações – que são criadas pela ABNT. O conteúdo das NBRs é elaborado por comissões de estudos compostas por representantes dos setores envolvidos (produtores, consumidores, universidades, laboratórios). No caso específico da operçaão na Praça Getúlio Vargas será aplicada a NBR 16246-1:2013 que estabelece os procedimentos para a poda das árvores, arbustos e outras plantas lenhosas em áreas urbanas, em conformidade com a legislação.

A segurança é fundamental na realização das podas, tanto para os transeuntes quanto para a equipe de trabalho, por isso determinadas ações são imprescindíveis. Algumas árvores a serem podadas encontram-se nos canteiros laterais da Praça Getúlio Vargas. Para evitar qualquer acidente, ao se realizarem as podas, será necessário o fechamento de parte do acesso à praça (via lateral onde os veículos passam), e também o desligamento de energia elétrica em parte dos arredores da praça. A equipe de trabalho atuará com equipamentos de proteção individual (EPIs) visando sua proteção. Isto porque, para a realização das podas, são utilizadas motoserras, motopodas e caminhão plataforma.

Universidade Rural fará relatório técnico 

A Prefeitura de Nova Friburgo e a Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ-Fapur) assinaram contrato para elaboração de relatório técnico de avaliação de todos as árvores da Praça Getúlio Vargas. A ação também fará parte dos trabalhos acordados no TAC 2, de 2015. O trabalho da instituição visa identificar, por meio de técnicas não-destrutivas, a qualidade, integridade e fitossanidade dos troncos e da madeira das árvores da praça tombada pelo Patrimônio Histórico. 

O trabalho começa em novembro e será coordenado por três professores da UFRRJ: Alexandre Monteiro de Carvalho, João Vicente de Figueiredo Latorraca e Henrique Trevisan. Na Praça Getúlio Vargas, a equipe vai instalar uma tenda que servirá de base para o trabalho, onde haverá um banner informativo à população. O processo de avaliação das árvores contará com a colaboração de engenheiros florestais que estão cursando mestrado e doutorado no Instituto de Florestas da UFRRJ, que abriga o curso de engenharia florestal. 

Todo o procedimento de avaliação será acompanhado por membros do Grupo de Trabalho designado para o cumprimento do TAC da Praça. Ao longo dos últimos meses, esse grupo atua para cumprir as demandas do TAC, com atuação em várias frentes, como o projeto de Educação Patrimonial, Plano Verdejar que visa instituir o Plano de Arborização Urbana, previsto no artigo 294 da nova Lei Orgânica municipal, aquisição do caminhão plataforma, equipamentos e treinamento de mão-de-obra para o manejo das árvores urbanas de todo o município. O andamento de todas essas ações pode ser consultado em http://transparencia.pmnf.rj.gov.br/ e no site educacaopatrimonial.djoaovi.com

 

TAGS: Meio Ambiente