Espaço para crescer

quarta-feira, 15 de junho de 2016
por Jornal A Voz da Serra

INFORMAÇÕES do Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas  – mostram que as MPEs representam 99% das pessoas jurídicas instaladas no país e respondem por mais de metade dos empregos formais da economia nacional. De acordo com o Ministério do Trabalho as MPEs, mesmo com a crise econômica atual do país, mostram resistência e estão conseguindo segurar o emprego. 

O MERCADO interno brasileiro responde à crise consumindo produtos principalmente das MPEs, mantendo assim aquecida a economia e em muitos casos até expandindo-a. Nova Friburgo se encaixa neste contexto, pois sua economia está calçada nas micro e pequenas empresas e os resultados até agora tem sido bem sucedidos.  

 O BRASIL, embora com todos os esforços oficiais, continua à margem da legalidade. O empreendedorismo, por paradoxal que seja, tem os seus efeitos negativos, inclusive numa cidade como Nova Friburgo. Aqui, assim como nas demais cidades, a economia informal tem sólidas raízes, motivadas por quase os mesmos problemas. Parte deste crescimento, segundo pesquisadores ocorreu devido ao emprego de políticas errôneas que trataram o problema de forma homogênea.

O SETOR informal, por suas diversidades, requer a adoção de políticas específicas para determinados segmentos dentro dessa ampla informalidade, e não de forma genérica. Essa falta de visão impede, pois, que se trate dos problemas de maneira efetiva, inclusive por parte do governo.

PARA UMA cidade que precisa correr atrás do tempo, tais dificuldades impedem o seu crescimento, aumentam a crise de empregabilidade e favorecem a economia informal com uma presença cada vez maior no PIB friburguense. Some-se às dificuldades estruturais a carga tributária municipal, que eleva ainda mais o ônus das empresas.

 OS NÚMEROS são expressivos e devem merecer uma atenção dos governantes para evitar a expansão da informalidade e oferecer condições reais de crescimento, adotando uma política tributária mais favorável ao empreendedorismo, quer a nível nacional, quer municipal. No caso friburguense, a sociedade aguarda propostas do Executivo e do Legislativo que estimulem e incentivem o crescimento econômico. 

TAGS: