EDITORIAL - Verão de sons

domingo, 11 de janeiro de 2015
por Jornal A Voz da Serra

UM GRUPO DE FRIBURGUENSES está articulando a comemoração do centenário do primeiro concerto do compositor Heitor Villa-Lobos, realizado em Nova Friburgo em 29 de janeiro de 1915. A estreia do mundialmente famoso compositor, feita no antigo Teatro Dona Eugênia, depois Cine Teatro Leal, demolido na década de 1970, é um marco que nunca foi comemorado pela cidade que o abrigou na sua primeira aparição ao público. Hoje consagrado, cumpre-se o ritual das homenagens, embora tardiamente.

COM O MESMO AFINCO, comemora-se neste mês, também, o 145 aniversário de fundação da Sociedade Musical Campesina Friburguense. O major Augusto Marques Braga não tinha a dimensão do seu gesto, quando, naquela segunda-feira do dia 6 de janeiro de 1890, criava, juntamente com um grupo de republicanos, a primeira agremiação musical brasileira da era republicana e precursora de uma geração de músicos que se perpetua até os dias de hoje. A música deu os acordes iniciais para a formação cultural de Nova Friburgo.

CENTO E QUARENTA E CINCO anos depois, a Campesina colhe os louros das vitórias obtidas ao longo de sua existência. Viveu dias de glória e de ostracismo. Passou por sucessivas administrações, evoluiu musicalmente, dando continuidade ao trabalho de seu primeiro maestro, Presciliano José da Silva, e nos dias atuais mantém-se como uma das mais importantes instituições culturais do Estado do Rio. A data que comemoram, portanto, é fruto da abnegação, da determinação e do amor à arte. Venceu a música.

PARA QUEM AINDA VIVE com a antiga concepção de que uma banda de música é uma forma folclórica de "cidadezinha do interior”, a Campesina responde com modernidade e interatividade, formando músicos que se consagraram nacional e internacionalmente. Suas apresentações no país e no exterior, sempre aplaudidas, atestam a qualidade do artista friburguense e da competência da instituição, evoluindo sempre para o benefício da música e da divulgação cultural do município.

A CAMPESINA é um exemplo bem-sucedido de uma atividade cultural muitas vezes desprezada pelos governantes, que optam por outras prioridades que não a formação de jovens em princípios cultuados pelo espírito, deixando marcas profundas por toda a vida. Assim como a música, outras manifestações artísticas permitem uma complementação importante na educação da sociedade e todo o incentivo deve ser dado, para não permitir que morram as suas legítimas aspirações.

INTEGRADA totalmente à vida cultural de Nova Friburgo, a banda Campesina faz parte do nosso patrimônio e, como tal, deve merecer de todos nós a admiração e o estímulo. Numa sociedade cada vez mais globalizada e indiferente, as manifestações culturais genuínas tornam-se o diferencial que ajudam a fortalecer os valores mais elevados da pátria e de seu povo. A Campesina é um pouco a síntese da nossa formação.


TAGS: