EDITORIAL - Sem hora para chegar

domingo, 28 de dezembro de 2014
por Jornal A Voz da Serra
EDITORIAL - Sem hora para chegar
EDITORIAL - Sem hora para chegar

O BRASIL DETÉM HOJE o terceiro mais poderoso supercomputador dedicado à previsão numérica operacional e de clima sazonal, tornando-se mesmo capaz de gerar cenários futuros sobre o aquecimento global para a ONU. Tal serviço possibilitou o aumento da confiabilidade dos modelos, gerando maior interesse de empresas nas diversas áreas: agricultura, indústria, transporte, geração e transmissão de energia, comércio, turismo, educação, dentre outros. 

TAMANHA TECNOLOGIA vem sendo colocada em prática e seus dados são bastante utilizados por instituições e cidadãos. As tragédias climáticas hoje, infelizmente, fazem parte do cotidiano e a meteorologia é uma forte aliada da população.

AS PREVISÕES, CONTUDO, criaram, no caso friburguense especificamente, uma preocupação a mais e nesta época do ano o serviço funciona como alerta. Frequentemente o Inea é consultado; o Climatempo; o Inpe; o Alerta Rio também, assim como câmeras de vídeo instaladas em diversos pontos da cidade, principalmente nas avenidas que margeiam o Rio Bengalas. 

SÃO ESTES OS INSTRUMENTOS que o friburguense, hoje, têm à sua disposição para se informar, sem falar, claro, na Defesa Civil. E ainda as redes sociais que prestam um grande serviço compartilhando com os internautas imagens em todos os locais do município.

POR MAIS QUE OS GOVERNOS afirmem estar com a situação sob controle e que os investimentos estão disponíveis, pouquíssimas cidades brasileiras se preocupam devidamente com os estragos que podem advir com as construções irregulares, inclusive em Nova Friburgo. 

A OCORRÊNCIA DE CHUVAS no verão fluminense leva a Secretaria de Defesa Civil a montar planos para oferecer cobertura à população que esteja em áreas de risco ou venha a sofrer consequências de desabamentos por conta do período chuvoso. 

A OPERAÇÃO NÃO É NOVIDADE para os friburguenses, e durante o ano passado muitas providências foram tomadas para prevenir situações de risco posto que o órgão, desde a chuva de 2011, vem prestando um eficiente serviço à comunidade.

NA CIDADE, A POPULAÇÃO debate este assunto frequentemente, tendo em vista a preocupação que se revela a cada temporal, como vem sendo observado pelas redes sociais. O monitoramento das ocorrências vai beneficiar enormemente as ações da Defesa Civil, oferecendo um serviço de grande valia para a comunidade. 

A HORA É DE PREVENIR para não contabilizar mais prejuízos no futuro. Mas o governo municipal precisará de muito tempo para resolver, por exemplo, a ocupação indiscriminada em encostas e em áreas de risco. A chuva não tem hora para cair e os seus efeitos são imprevisíveis. Hoje e sempre.


TAGS: