EDITORIAL - Há esperança para o clima?

domingo, 07 de dezembro de 2014
por Jornal A Voz da Serra

NO ÚLTIMO MÊS do ano mais quente do planeta desde 1880, quando a temperatura global começou a ser medida por cientistas, de acordo com informações da Agência Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos, a NOAA, começou no Peru a COP 20, Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

Os diplomatas e cientistas reunidos no evento até o dia 12 de dezembro têm a missão de chegar ao "rascunho zero” de um acordo multilateral que obriga as nações a cortar emissões de gases-estufa a partir de 2020. A data não é apenas uma referência a esta questão fundamental à vida no planeta. Lembra também os riscos que corremos por falta de políticas específicas que auxiliem o homem a viver melhor, com mais qualidade de vida e saúde.

AINDA QUE OS FRIBURGUENSES não demonstrem um espírito de preocupação ambiental condizente com o nosso patrimônio natural, os efeitos do aquecimento global mostram uma nova face da preocupação dos países, exigindo de todos os cidadãos uma postura preventiva e corretiva. A realização da COP 20 é um bom momento para refletirmos sobre a nossa condição atual e o futuro de nossa cidade.

NESTE QUADRO, dentre outros importantes setores, insere-se a indústria do turismo, líder mundial em movimentação de recursos e geração de empregos, que depende umbilicalmente da manutenção de recursos naturais. E também o ecoturismo surge como um dos mais inteligentes movimentos para a viabilização desses recursos, oferecendo uma alternativa de assegurar seu sustento e uma qualidade de vida melhor às comunidades, assegurando às gerações futuras um acesso aos legados da natureza.

NO ENTANTO, para que o setor possa se constituir em uma estrutura acessível e permanente, é preciso que esteja alicerçado em diretrizes coerentes com o mercado, tecnologicamente adequado e democraticamente discutido. Assumir este nível de responsabilidade e dar a esta atividade a visão de prioridade estratégica do ponto de vista social, econômico e ambiental deve ser também um compromisso do governo municipal.

O CRESCIMENTO DA ECONOMIA municipal também está ligado ao turismo e aos nossos recursos naturais. Se soubermos explorar o meio ambiente de forma sustentável, ordenada, planejada e com o apoio do poder público, Nova Friburgo vai ganhar sem poluir, crescer sem desmatar, progredir com sustentabilidade.

TAGS: