Dia das Mães enche lojas de promoções em Friburgo

Aumento das vendas é esperado na sexta e no sábado
terça-feira, 07 de maio de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Dia das Mães enche lojas de promoções em Friburgo

Aproximadamente 10,2 milhões de consumidores devem ir às compras no comércio de todo o estado do Rio de Janeiro para presentear as mães no dia dedicado a elas, o próximo domingo, 12. O Dia das Mães, festejado sempre no segundo domingo de maio, é considerado a segunda data mais importante do comércio, depois do Natal. É o que aponta um  levantamento do Instituto Fecomércio de Pesquisa e Análises IFec/RJ), que consultou 500 consumidores do estado do Rio. O volume de compras no comércio deve movimentar R$ 1,6 bilhão na economia fluminense.

A pesquisa também indica que o gasto médio dos consumidores com presentes será de até R$ 155,87.  Entre os presentes preferidos estão perfumes e cosméticos (51%), roupas (46,8%), calçados, bolsas e acessórios (37,8%), flores (27%), joias e bijuterias (24,8%), smartphones (12,5%) e livros e ebooks (11,5%).

O estudo do IFec/RJ também apontou que 78,5% das pessoas farão compras em lojas físicas, enquanto, cerca de 21,5% dos consumidores vão realizar suas compras pela internet. A sondagem ocorreu entre os dias 22 e 26 de abril.

Muita procura, mas ainda poucas compras

No comércio de Nova Friburgo as lojas já estão cheias e muitos empresários já investem em promoções para atrair os clientes, mas as vendas ainda estão abaixo do esperado. A expectativa é de melhora a partir de quinta-feira, 9, e aumento nas vendas na sexta-feira, 10, e, principalmente, no sábado, 11. “Não tem jeito, os brasileiros deixam tudo para a última hora mesmo. Muita gente está esperando receber os salários, pagar as contas, comprar alimentos e remédios e se sobrar algum, aí sim vão presentear as mamães”, acredita o lojista Antônio Alencar.

Já o vendedor de uma loja de utilidades para o lar na Avenida Alberto Braune, Rafael Castro, acredita que mesmo quem tiver apertado não vai deixar de dar um presentinho para as mães no próximo domingo. “Se for esperar o salário dar, dificilmente sobra dinheiro para comprar presente. O pessoal vai apelar mesmo é para o cartão de crédito e parcelar. Aqui fazemos qualquer artigo da loja em seis vezes sem juros. Aí fica fácil”, brinca o jovem que já observa maior movimento na loja desde a última segunda-feira, 6. “Tem muita gente que vem dar uma olhada, pesquisa e não compra. Mas a maioria deve voltar e levar alguma coisa até o fim da semana. Mãe não pode ficar sem presente. Nem que seja uma flor. E aqui temos lindos arranjos de flores de plástico que são um luxo, a partir de R$ 15,90”, dá a dica,  na ânsia de seduzir os clientes.

Nas lojas de departamentos e magazines da Ave nida Alberto Braune e Praça Getúlio Vargas, o movimento de sondagem de preços de samrtphones, celulares, televisores e eletrodomésticos tem sido grande nos últimos dias. Muitas lojas estão investindo pesado em promoções para atrair os clientes. Tem loja que ampliou o parcelamento sem juros nos cartões de crédito para até dez vezes.

Os kits de utilidades para a cozinha que reúnem liquidificador, espredor de frutas e batedeira por R$ 149,90 são um dos mais procurados. As panelas elétricas por R$ 119 também são opção de presente que tem tido boa saída, segundo os vendedores, mas os celulares que saem a partir de R$ 799 (também em dez vezes sem juros) são os campeões de pesquisas de preços até agora.  

“Por enquanto estou dando uma pesquisada para ver se acho alguma coisa que agrade a minha mãe. Vi um aparelho de jantar por R$ 159 que ela, com certeza, iria adorar. Estou em dúvida, pois a minha mãe gostaria muito de uma televisão com tela plana. Mas aí fica difícil. A que ficaria boa na sala da casa dela custa R$ 2.999. Meu irmão está desempregado e não vai poder ajudar a comprar o presente”, disse uma jovem.

Os presentes que devem ter mais saída nas lojas este ano       

Perfumes e cosméticos - 51%

Roupas - 46,8%

Calçados, bolsas e acessórios - 36,8%

Flores - 27%

Joias e bijuterias - 24,8%

Smartphones - 12,5%

Livros e e-books, 11,5%

Televisores - 5,3%

Computadores - 3,8%

Outros - 6,8%

(Fonte: IFec-RJ)

 

TAGS: