Desvio de poste começa a ser reconstruído na via compartilhada

Contorno mal executado gerou uma série de críticas, de pedestres e ciclistas, nas redes sociais
quinta-feira, 29 de agosto de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
O desvio começando a ser construído (Fotos: Henrique Pinheiro)
O desvio começando a ser construído (Fotos: Henrique Pinheiro)

 

A empreiteira que constrói a via compartilhada para pedestres e ciclistas às margens do Rio Bengalas, na altura da Avenida Presidente Costa e Silva, começou a refazer o desvio em torno de um poste que gerou uma série de críticas nas redes sociais no último mês. O projeto foi executado de forma errada pela construtora Fender Engenharia. A via compartilhada, segundo a Prefeitura de Nova Friburgo, deve contar com desvios dos postes.  

Nesta quinta-feira, 29, funcionários da empresa que realiza a obra instalaram estruturas para a construção de um recuo maior em torno do poste, oq ue vai facilitar a circulação de bicicletas com mais segurança. A construção da via compartilhada, aliás, já começou a mudar hábitos de pedestres. Antes praticamente inutilizada devido aos buracos, a calçada, que vai se tornar via para pedestres e ciclistas, já começou a ser utilizada para caminhadas. 

Os operários da construtora também trabalharam, na última semana, na recuperação do trecho na Avenida Rui Barbosa, em frente ao Hospital Municipal Raul Sertã. Eles começaram a substituir as grades de proteção às margens do rio. É justamente nesse trecho, na esquina com a Rua Padre Yabar (ao lado da subestação da Energisa), que a via compartilhada termina e começa a ciclovia de fato, exclusiva para ciclistas. 

No início deste mês, após críticas à execução do projeto, o Escritório de Gerenciamento de Convênios e Projetos (EGCP) da prefeitura veio à público explicar, em detalhes, a estrutura do novo modal da cidade. O projeto não prevê somente uma ciclovia, mas uma via compartilhada e outra partilhada.

A via compartilhada é a que já está em construção e é assim chamada porque ciclistas vão dividir o espaço com pedestres. Não haverá divisão entre faixa para ciclista e faixa para pedestre. O trecho compartilhado vai do trevo de Duas Pedras até a Rua Padre Yabar, onde começará a ciclovia, exclusiva para ciclistas, que irá contornar uma faixa da Avenida Euterpe Friburguense até a ponte da Rua Sete de Setembro (em frente ao largo do bar Barbatana).

Já a via partilhada será construída da ponte da Rua Sete de Setembro até a altura da Igreja Luterana, no Paissandu. Ela é chamada partilhada porque terá uma faixa exclusiva para ciclistas, pintada de vermelho, e outra, separada, para pedestres. Quem passa atualmente pela Avenida Galdino do Valle Filho (do Clube de Xadrez à Luterana) já deve ter observado que a calçada que margeia o rio possui antigas faixas para pedestres e ciclistas. Elas serão reaproveitadas. 

A primeira fase do projeto de construção de uma rede cicloviária em Nova Friburgo, do bairro Duas Pedras ao Paissandu, vai custar aos cofres municipais R$ 999 mil e deve ser concluída pela Fender Engenharia em até 120 dias. O governo, contudo, tem planos de construir outras ciclofaixas, de Duas Pedras a Conselheiro e do Cônego ao Centro, criando uma grande rede que ligaria o município de uma região a outra. 

 

TAGS: obra | Trânsito