De volta aos bairros: Parque D. João VI e adjacências ainda carecem de melhorias

Região ainda tem ruas cedendo, falta de lixeiras, iluminação precária, bueiros sem tampa e entupidos
sexta-feira, 04 de janeiro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Calçamento desgastado e bueiro sem tampa: perigo para quem passa (Fotos: Henrique Pinheiro)
Calçamento desgastado e bueiro sem tampa: perigo para quem passa (Fotos: Henrique Pinheiro)

O jornal A VOZ  DA SERRA está retornando a alguns bairros para saber se as reivindicações de moradores foram atendidas pelo poder público. Nesta edição, abordamos os bairros Parque Dom João VI, Parque Real, Parque Imperial e Alto do Mozer.

Em agosto de 2018, nossa equipe visitou as quatro localidades e constatou que os bairros tinham grande urgência em resolver problemas como capina, buracos em vias estreitas (de mão dupla, em que inclusive, trafegam ônibus e caminhões), falta de iluminação, entupimento e falta de tampas nos bueiros, ruas cedendo e sem lixeiras. Criado em 2017, o grupo União dos Moradores (UDM), conjunto dos quatro bairros, tendo como um dos porta-vozes, Eduardo Trigo, fez um estudo, mapeou e entregou à Prefeitura um relatório contendo as reivindicações.

Na época, a prefeitura informou, através de uma nota, que a Secretaria de Serviços Públicos, na mesma semana, iria mandar as equipes para realizar a capina na localidade. Também naquela mesma semana seriam iniciados os serviços de colocação de tampas e desobstrução de bueiros.

“Quanto à iluminação pública, as trocas de lâmpadas queimadas nesta área da cidade foram concluídas na última segunda-feira (13 de agosto). Com relação aos serviços prestados pelas concessionárias, (a prefeitura) informa que já solicitou à EBMA uma frequência maior na coleta do lixo residencial. Sobre os problemas na rede de esgoto e deficiências no transporte público, vai oficiar às concessionárias Águas de Nova Friburgo e Faol, respectivamente, para que atendam as demandas dos moradores”.

Na manhã de quinta-feira, 3, nossa equipe voltou às localidades e constatou que a melhora foi pouco significativa diante de tantas demandas. Eduardo nos acompanhou, outra vez, e mostrou o que foi feito e o que ficou por fazer.

“Pra ser sincero algumas coisas foram feitas, mas, em parte. A capina, por exemplo, foi realizada na rua principal, algumas tampas de bueiro foram colocadas, alguns bueiros também foram desobstruídos. Algumas lâmpadas foram substituídas, mas elas não iluminam nada e em alguns locais elas ficam acesas o tempo todo. As lixeiras, poucas foram colocadas. Tem moradores que improvisaram uma caixa d´água como lixeira, mas  não se mostrou devidamente adequada porque os cachorros rasgam os sacos de lixo e sujam a rua toda. A sinalização que tanto pedimos, não foi feita”, listou Eduardo.

Na Rua Alameda do Planalto, a moradora Angela Rodrigues foi uma das pessoas que improvisou uma lixeira. Esse é um problema pequeno perto do maior, onde mora. “A nossa rua está desmoronando. Um pedaço já cedeu. O mato está cobrindo toda essa parte e fica perigoso porque o motorista não vê. Colocamos um galho para sinalizar”

Segundo Angela, o problema está longe de se resolver. “A Defesa Civil veio aqui, colocou uma faixa, mas já soltou. A Prefeitura notificou a moradora cujo terreno faz divisa com o barranco que faz base a essa rua que está cedendo. Eles querem que ela faça um muro de contenção. A moradora diz que não é da responsabilidade dela e quer que a prefeitura arque com os custos. Só uma faixa não resolve. Já vimos um caminhão quase cair. Um carro também ficou preso por um fio. Alguma coisa tem que ser feita, já”, exigiu a moradora.

Outro grave problema encontra-se na Rua Princesa Isabel, no Parque Imperial. Com muitos buracos, alguns chegam a uma profundidade assustadora e a localidade parece estar abandonada. Uma moradora que preferiu não se identificar afirma que a situação calamitosa dura há dois anos.

“Nem o ônibus consegue passar por aqui direito. É um absurdo. A gente paga nossos impostos e nem sair da minha casa com segurança a gente consegue, com medo de cair em um buraco desses, ou do carro quebrar por conta dessa falha”, indignou-se.

O que diz a prefeitura

A Secretaria de Obras informou que tem ciência dos problemas relatados pelos moradores do Parque Dom João VI e que as obras e reparos necessários para solucionar os problemas com buracos e afundamento de ruas já estão no cronograma para execução.

Já a Secretaria de Serviços Públicos orientou que os moradores entrem em contato com o setor para solicitar as lixeiras, a colocação das tampas de bueiro e limpeza. A secretaria informou ainda que, neste mês de janeiro, fará uma licitação para locação de veículos e aquisição de material elétrico visando a retomada do serviço de manutenção da iluminação pública. A Secretaria de Serviços Públicos fica na sede da Prefeitura de Nova Friburgo, na Avenida Alberto Braune, 225 - Centro.

 

 

TAGS: Obras