Combatendo os perigos

terça-feira, 23 de junho de 2015
por Jornal A Voz da Serra
AS PROMESSAS de mobilidade urbana do município ganham espaço no noticiário com o anúncio de proposta para a remodelação da Avenida Brasil para o tráfego de veículos e a recuperação das calçadas das principais vias do Centro. Medidas sem dúvida ousadas, num momento de crise econômica e redução dos investimentos públicos em todo o país.

É difícil ser pedestre com calçadas esburacadas
MESMO COM tantos projetos expansionistas de desenvolvimento, Nova Friburgo continua sofrendo males antigos que por diversas administrações foram negligenciados e se constituem em efetivo problema de urbanidade e civilização nos dias de hoje. O anúncio da intenção de acabar com os buracos nas calçadas, conforme noticiou A VOZ DA SERRA na edição do último fim de semana mostra que o perigo está perto de todos e como é difícil ser pedestre frente aos imprevistos que surgem a cada passo.

SE AS RUAS da cidade, esburacadas, são um tormento para os motoristas, as calçadas friburguenses representam um risco semelhante aos pedestres. As quedas estão se constituindo um problema sério não apenas para os idosos como para todos. Crianças e adultos também sofrem com a falta de manutenção, agravada ainda pelo uso indevido das más conservadas vias pelos ciclistas, outro fator de risco para todos os passantes.

DESNIVELADAS e apresentando sérios desgastes, as calçadas de Nova Friburgo não fazem parte do cartão-postal vendido a turistas. Ao contrário de muitas cidades que possuem ruas floridas, com calçadas convidativas ao passeio, as nossas infelizmente ficam à mercê da responsabilidade dos proprietários, dos custos da obra remodeladora e do gosto estético dos mesmos.

TAMBÉM tem sido noticiado com frequência um grande número de atropelamentos e colisões com vítimas, provocados pelo trânsito em nossa cidade. Apressados e sem cautela, inúmeros motoristas e mesmo pedestres são vítimas de acidentes por falta, muitas vezes, de uma maior conscientização sobre os riscos que a difícil convivência com o automóvel provoca. O choque de ordem proposto pelo prefeito também deveria incluir uma reeducação de motoristas e ciclistas e a formação de novos cidadãos através da educação.

O BRASIL é campeão em acidentes e em vítimas do trânsito irresponsável, levando as autoridades a se preocuparem bastante com o problema. Para que a estatística não aumente ainda mais, torna-se necessário uma ampla campanha de conscientização levando os cidadãos, motoristas e pedestres, a compreender a extensão da grave situação, visando à diminuição de acidentes. Nas calçadas e nas ruas.

TAGS: mobilidade urbana | planejamento urbano | Avenida Brasil | Trânsito | Transporte | obra | conservação | infraestrutura | calçada | ciclovia | Turismo | buraco | gestão | Prefeitura | choque de ordem | motorista | campanha | acidente