Cheios de manias, os românticos do Raça Negra prometem empolgar

Grupo de samba e pagode se apresenta no Country nesta sexta com casa cheia. Bigode Serrano abre o evento
quarta-feira, 22 de agosto de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Raça Negra: show no Country nesta sexta
Raça Negra: show no Country nesta sexta

 

“Oh meu amor, não fique triste, saudade existe para quem sabe ter”. A vida cigana vai fazer com que o grupo Raça Negra suba a serra e desembarque em Nova Friburgo nesta sexta-feira, 24, para um show que promete arrancar suspiros, no Country Clube. Trazido pela Lack Produções, o show Raça Negra e Amigos II já teve quase todos os ingressos vendidos e, com a promessa de casa cheia, o grupo de samba e pagode, criado em São Paulo, em 1983, enche os corações de amor e alegria.

O Raça Negra é um dos pioneiros da vertente romântica do gênero e lançou moda ao se apresentar sempre com a beca impecável, com ternos bem cortados e um sorriso cheio de manias. No repertório, músicas que marcaram uma geração, que nunca caíram no esquecimento e que, hoje são clássicos memoráveis que embasam o romantismo dos mais apaixonados. Como não se emocionar com o “Jeito felino”, que machuca e dá prazer. Talvez tenha sido por isso que, há cerca de três semanas, uma onça tenha sido vista em Cachoeiras de Macacu, há cerca de 30 quilômetros de Friburgo.

E como seria segurar essa barra que é gostar do Raça Negra, sem ouvir “Cheia de manias”, talvez a mais famosa cantiga do grupo, que através do bordão “Didididiê”, arranca sorrisos e faz levantar os braços acompanhando o ritmo da canção? Nunca é “tarde demais” para ouvir os Trovadores do Século 21. A promessa é que o grupo também toque as eternas melodias de “Cigana”, “Que se chama amor”, “Deus me livre”, “Quando te encontrei”, “Que Pena”, “Me leva junto com você”, “Ciúme de você”, “Maravilha”, entre outros.

Redes Sociais

O grupo ficou sumido por um tempo, no início dos anos 2000, mas voltou com tudo, muito em função das redes sociais. A internet não esquece de nada e, tal qual o bumerangue, trouxe de volta vídeos da década de 80 e 90 que viralizaram e recolocaram o Raça Negra em evidência. Quem não se divertiu com o “menino da flor”, no Programa Silvio Santos ou com as inúmeras montagens envolvendo as músicas da banda dublando outras bandas e artistas como Guns N’ Roses, Michael Jackson e até mesmo, filmes, como Star Wars, O Máskara e até o desenho do Pateta.

Parcerias

Em 2014, a parceria com o grupo Só Pra Contrariar rendeu a gravação do DVD “Gigantes do Samba” e resgatou ainda mais os clássicos dos dois grupos. A partir daí, inúmeras parcerias surgiram, como Chitãozinho e Xororó, Wesley Safadão, Thiaguinho, Zezé Di Camargo e Luciano, entre outros artistas que dividiram o palco com o grupo e cantaram os maiores sucessos.

Bigode Serrano

Parceiros na produção do evento, o grupo Bigode Serrano terá a chance de abrir o show do Raça. Uma mudança na playlist será necessária, mas nada que comprometa a apresentação do grupo 100% friburguense. “Existia uma dúvida se iríamos abrir o show ou tocar com eles. Combinamos de abrir o show e começar a tocar por volta das 20h30, para que às 23h45 o Raça Negra suba ao palco. Vamos com banda completa e repertório completo (claro, sem as músicas do Raça Negra). Apesar do nosso repertório ter muitas músicas da banda, vamos tocar muito pagode antigo do Só pra Contrariar, Axé antigo, MPB, pop e Roupa Nova”, conta Heitor Mora, líder do grupo.

A expectativa de tocar no mesmo palco que a banda deixa o vocalista do Bigode contando os minutos para a apresentação. “A ansiedade é grande. Me apresentar no mesmo palco de uma banda que sempre ouvi, sempre toquei e sempre gostei, torna mais especial. Vamos tocar para muita gente”, avisa Heitor. Este segundo semestre do ano ainda reservas altas emoções para o Bigode Serrano. Além de abrir o show de sexta, há a expectativa de tocar antes das apresentações do Roupa Nova, em setembro e de Alexandre Pires, em novembro.

 

TAGS: