Campanha da Fraternidade é aberta neste sábado em Nova Friburgo

Biomas brasileiros e a defesa da vida são temas da edição 2017
sexta-feira, 03 de março de 2017
por Dayane Emrich
Capela de Macaé de Cima (Foto: Arquivo A VOZ DA SERRA)
Capela de Macaé de Cima (Foto: Arquivo A VOZ DA SERRA)

A Campanha da Fraternidade, criada e realizada todos os anos pela Igreja Católica, será aberta, oficialmente, neste sábado, 4, na Diocese de Nova Friburgo. Além de pregação, às 14h30 — com o padre Marcelo Roberto Talon, sobre o tema “Fraternidade: biomas brasileiros e a defesa da vida” — será celebrada missa na Catedral São João Batista, na Praça Dermeval Barbosa Moreira, no Centro. 

Como ocorre anualmente, esta edição da campanha traz para debate um tema importante: a natureza e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15), alertando para o cuidado com o planeta, de modo especial dos biomas brasileiros. Segundo o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Ulrich Steiner, a proposta da campanha é dar ênfase à diversidade de cada bioma e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam. “Ao meditarmos e rezarmos pelos biomas e as pessoas que neles vivem sejamos conduzidos à vida nova”, afirmou. 

A CF foi criada em 1962 e sua abertura a nível nacional acontece sempre na quarta-feira de cinzas, quando tem início a Quaresma, período de preparação para Páscoa. Nesta época, a Igreja Católica convida os fiéis a experimentarem três práticas penitenciais: a oração, o jejum e a esmola. O principal objetivo da ação, que segue até o Domingo de Ramos, no dia 9 de abril, é retomar os ensinamentos do Concílio Vaticano II, que reafirmou a identidade de uma Igreja servidora e, por isso, participativa, atuante, consoladora, misericordiosa e samaritana.

Carta do Papa Francisco aos católicos brasileiros

Também na quarta-feira, 1º, quando ocorreu a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília, o Vaticano apresentou a mensagem do Papa Francisco sobre a Campanha da Fraternidade 2017. Nela, o Papa ressaltou a beleza do Brasil e, ao mesmo tempo, a preocupação com a degradação da natureza. “O criador foi pródigo com o Brasil. Concedeu-lhe uma diversidade de biomas que lhe confere extraordinária beleza. Mas, infelizmente, os sinais da agressão à criação e da degradação da natureza também estão presentes”, afirmou o Papa, por meio de carta.

Em outro trecho da mensagem, Francisco destacou: “Essa campanha convida a contemplar, a admirar, agradecer e respeitar a diversidade natural que se manifesta nos diversos biomas do Brasil — um verdadeiro dom de Deus — através da promoção de relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles vivem”. 

Por meio do documento, o pontífice pediu aos fiéis que observem o modo como os povos originários de cada bioma convivem com a natureza. De acordo com ele, desta forma, “será possível encontrar um modelo de sustentabilidade que possa ser uma alternativa ao afã desenfreado pelo lucro que exaure os recursos naturais e agride a dignidade dos pobres.”

TAGS: religião | Meio Ambiente