Câmeras integradas a sinais começam a multar em 12 de agosto

Sistema terá um custo anual de R$ 1,87 milhão aos cofres do município e será operado pela empresa fornecedora dos equipamentos
terça-feira, 30 de julho de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra,com.br)
A instalação das câmeras (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
A instalação das câmeras (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

A Prefeitura de Nova Friburgo anunciou nesta segunda-feira, 29, que o sistema de câmeras integrado aos sinais de trânsito começará a multar os motoristas infratores a partir do próximo dia 12 de agosto. Serão notificados aqueles que forem flagrados avançando o sinal ou parando sobre a faixa de pedestres. Os 15 equipamentos instalados irão monitorar 30 cruzamentos em diversos pontos da cidade 24 horas por dia. No entanto, as multas serão aplicadas somente no período entre 6h e 22h.

O sistema de câmeras terá um custo anual de R$ 1.876.800,00 aos cofres do município e será operado pela empresa Eletrosinal Ltda, fornecedora do equipamento. De acordo com a Prefeitura, a central de monitoramento (que ainda está em fase de montagem) vai funcionar na sede da Secretaria Municipal de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu).

“Acreditamos que as infrações diminuirão e, por isso, pedestres e outros veículos vão ficar menos expostos ao risco de acidentes. Além disso, o sistema de câmeras também vai permitir a medições do fluxo de veículos, o que é fundamental para os estudos e projetos de engenharia de tráfego que são desenvolvidos pela secretaria”, destacou Marcelo Monteiro, gerente da Smomu.

A prefeitura informou que os recursos provenientes das multas de trânsito serão depositados em um fundo da Smomu e destinados à manutenção de todo o sistema viário de mobilidade urbana da cidade. "A prioridade é definida conforme as necessidades se apresentam", afirmou em nota. Sobre a fiscalização da aplicação dos recursos, cabe aos órgãos fiscalizadores acompanhar este processo, acrescentou a prefeitura.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), avançar o sinal vermelho é uma infração gravíssima, punida com multa no valor de R$ 293,47 e sete pontos na carteira. Ainda segundo o CTB, se a infração for seguida de um acidente que termine em lesão corporal grave ou morte, o motorista também responderá criminalmente.

Como funciona o sistema

O equipamento é composto por um sinal de trânsito e três câmeras. Uma câmera com a imagem mais aberta vai registrar o momento exato de um avanço de sinal, por exemplo. Com a segunda câmera, mais fechada, é possível identificar com precisão as placas dos veículos que tenham cometido alguma infração. Já a terceira câmera está posicionada de frente para evitar que motoristas sejam multados injustamente, deixando claro se o veículo está sendo perseguido ou abrindo caminho para uma ambulância, por exemplo, situações que podem justificar um possível avanço de sinal.

De acordo com a Prefeitura, o motorista multado receberá na notificação todas as imagens de comprovação da infração em foto e ainda terá a oportunidade de assistir às gravações na central de monitoramento. Vale ressaltar que as câmeras vão registrar tudo em vídeo e as possíveis infrações serão captadas automaticamente pelo sistema e, posteriormente, validadas pelos servidores da Central de Monitoramento.

O que diz a população

O anúncio da instalação do sistema de monitoramento dividiu opiniões entre a população friburguense. Enquanto alguns apoiam a iniciativa com o argumento de que todas as medidas que visam dar mais segurança ao trânsito são positivas, outros acharam alto o custo de manutenção do sistema, de pouco mais de R$ 1,8 milhão.

Na página de A VOZ DA SERRA no Facebook, dezenas de leitores se manifestaram sobre o assunto: “A quantidade de motoristas ignorando sinal vermelho e atrapalhando os pedestres a atravessarem é surreal. Praticamente todas as vezes que o sinal fica vermelho, dá pra esperar que alguém vai acelerar e furar o sinal”, disse um internauta favorável à medida. “É só não furar o sinal que não será multado. Simples assim”, acrescentou outro leitor.

Por outro lado, também há muitos friburguenses criticando a novidade: “Desperdício total de dinheiro público. Radares em semáforos com índices de acidente ínfimos com a única intenção de arrecadar dinheiro” afirmou um seguidor de A VOZ DA SERRA. “Não tem dinheiro para o hospital ou para arrumar as ruas esburacadas, com os paralelos soltos, causando quedas de pessoas nas ruas e quebrando nossos carros, mas para colocar a mão no bolso do povo tem verba”, se queixou outra pessoa.

Os pontos que serão monitorados por câmeras

Ao todo, serão 15 equipamentos fiscalizando 30 cruzamentos nos seguintes pontos:

- Avenida Comte Bittencourt x Rua Augusto Cardoso;

- Avenida Galdino do Valle Filho x Ponte Branca;

- Avenida Comte Bittencourt x Rua Francisco Miele;

- Avenida Santos Dumont x Rua Francisco Miele;

- Rua José Ruiz Bolea x Rua Sete de Setembro;

- Avenida Rui Barbosa x Rua Aristão Pinto;

- Avenida Rui Barbosa x Rua Henrique Zamith;

- Avenida Barão de Nova Friburgo / Conselheiro Julius Arp x Joseph Walter Vogt (mão inglesa);

- Avenida Jante Pires Barroso x Rua Maria D’Angelo Magliano – ida;

- Avenida Governador Roberto Silveira nº 1260 (altura da Fripão) – ida;

-Avenida Governador Roberto Silveira (altura da Fripão) – volta;

- Alameda Barão de Nova Friburgo x Rua Bahia;

- Avenida Euterpe x Rua Padre Luis Yabar;

- Praça Marcílio Dias;

- Avenida Governador Roberto Silveira x Rua Joaquim de Macedo Soares (Curral do Sol)

 

 

 

 

 

TAGS: Trânsito