Atenção melhorada

quinta-feira, 07 de janeiro de 2016
por Jornal A Voz da Serra

O INSTITUTO Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) inicia 2016 com um novo modelo de previsão do tempo. Com a mudança, as previsões vão ganhar maior confiabilidade e qualidade, principalmente nos casos de eventos extremos, como chuvas intensas e períodos de seca. Com isto, será possível detalhar as previsões com até cinco dias de antecedência, enquanto o antigo modelo mostrou uma queda de desempenho a partir do segundo dia das previsões.

SEGUNDO O INPE, com essas implementações, a expectativa é de que as previsões de tempo para o Brasil deverão melhorar bastante nos próximos meses tanto em qualidade, com maior riqueza de detalhes, como em confiabilidade, principalmente para as previsões com mais de dois dias de antecedência. Uma boa medida para se planejar melhor os procedimentos contra as intempéries.

SE AS FESTAS de fim de ano simbolizaram em todo o mundo um ano de boas novas, de crescimento e desenvolvimento, as tragédias ocorridas no Rio Grande do Sul foram um aviso de que nem tudo será fácil para moradores das cidades que constroem sem planejamento, permitem o adensamento populacional em áreas de risco. Devemos, portanto, tomar providências para conter o avanço populacional indiscriminado.

POR MAIS que os governos afirmem estar com a situação sob controle e que os investimentos estão disponíveis, pouquíssimas cidades brasileiras se preocupam devidamente com os estragos que podem advir com as construções irregulares, inclusive em Nova Friburgo. Levantamento da Defesa Civil aponta para centenas de áreas consideradas perigosas e que exigem uma atuação firme das autoridades.

DESDE 2008 está funcionando o Sistema de Alerta de Cheias em Nova Friburgo que mede em tempo real o nível de água e de intensidade de chuva em seis locais do município. A medição auxilia a Defesa Civil a gerenciar os efeitos e a estabelecer um programa preventivo contra as enchentes com o objetivo principal de informar à população, antecipadamente, situações de risco de chuvas intensas e de cheias nos cursos d’água

A PREVISÃO de chuvas que ocorrem no verão fluminense leva a Defesa Civil a montar planos para oferecer cobertura à população que esteja em áreas de risco ou venha a sofrer conseqüências de desabamentos por conta do período chuvoso. A operação não é novidade para os friburguenses, ainda mais porque  o órgão, há algum tempo, vem prestando um eficiente serviço à comunidade em diversas ocasiões.

É PRECISO prevenir para não contabilizar prejuízos no futuro. Mas o governo Rogério Cabral ainda necessitará de muito mais para resolver, por exemplo, a ocupação indiscriminada em encostas e em áreas de risco. A chuva não tem hora para cair e os seus efeitos são imprevisíveis. Devemos estabelecer uma política séria de solo em todo o município revendo a questão da ocupação e estabelecendo limites ecológicos e físicos para impedir o crescimento exagerado.

A HORA É DE rever conceitos e partir para ações duradouras e competentes. E não apenas promessas em épocas de tragédias.

TAGS: