Z: um suplemento que nasceu para encantar e contar histórias

Com um pé no digital e na produção de vídeos, produto é um marco do jornalismo moderno feito por A VOZ DA SERRA
domingo, 18 de março de 2018
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Z: um suplemento que nasceu para encantar e contar histórias

Em 53 edições (veja aqui todas as reportagens publicadas), o Caderno Z abordou temas de toda a natureza, a começar pela nossa exuberante produção de flores (na foto, a capa do primeiro Z), as estações do ano, com suas peculiaridades na gastronomia, moda, esportes. Um dos números foi todo dedicado ao teatro, outro ao idoso, ao carteiro, ao comércio. Não faltaram cães e gatos, barbeiros-estilistas e ainda cervejarias artesanais, pizzas, vinhos, turismo. Também pai, mãe, filhos, livros, poesia. Uma lista interminável, além de colunas fixas, entre elas, de cinema. O Caderno Z é tudo isso e muito mais. Aguardem o que vem por aí, ao longo de 2018.

Jornalismo para sentir

Sentir, tocar, cheirar, tem a ver com essa coisa de “aqui, agora”, com o momento presente. É como estar com os pés no chão e a mente focada. E em tempos tão marcadamente virtuais, estar presente fisicamente na vida das pessoas chega a parecer utopia. Vivemos tempos de “à distância”.  Relacionamentos, conversas, olho no olho não são mais presenciais, são virtuais. Um simples telefonema, de fixo então, hoje é praticamente uma surpresa para boa parte da população, essa que está 100% conectada. O tempo todo.

O que observamos ao nosso redor é uma multidão de pessoas com seus pescoços dobrados para baixo, cervical sacrificada para aguentar o peso das cabeças cujos olhos estão fixos nas telas dos celulares, teclando, freneticamente, para Deus e o mundo. Dentro e fora de casa o comportamento das pessoas mudou. No entanto, certas práticas cotidianas parecem imutáveis. Por exemplo, continuamos escovando os dentes ao acordar, tomamos café da manhã, os filhos vão para as escolas, os pais vão trabalhar.

E, tão importante quanto, a leitura dos jornais também faz parte dessas práticas diárias. Pode-se afirmar que é hábito consolidado. Afinal, o impresso vem sobrevivendo e com coragem desafia as previsões mais pessimistas de analistas do mercado de mídias. No que nos diz respeito, este tipo de leitura, independentemente da época, está bem presente em nossas vidas e, ousamos afirmar, dificilmente mudará. Apesar do panorama algo preocupante, de enxugamento, demissões, fechamento de empresas, o profissional do jornalismo, essa gente que acredita e segue investindo em jornais e revistas, na mídia impressa, resiste. A equipe de A VOZ DA SERRA faz parte dessa “gente”.

Um pé no impresso, outro no digital

Com a popularização da internet e a banalização da informação, nossas mentes (e corpos) são condicionadas à rapidez da informação e a facilidade de encontrá-la. Ainda assim, o prazer de manusear páginas com conteúdos bem apurados e diagramação inteligente e criativa, numa junção de pequenos e preciosos detalhes, transmite respeito pelos leitores. Percebe-se por trás daquele resultado que uma equipe dedicada e apaixonada trabalha com afinco e responsabilidade para levar ao público o que de fato acontece e deve ser divulgado.

Reiterando, apesar de tempos tão tecnológicos, muito bem-vindos, aliás, a forma mais tradicional de noticiar jamais deixará de existir: o hábito de ler jornais é milenar. A título de ilustração, vale a pena destacar: o primeiro jornal de que se tem conhecimento data de 59 a.C., criado pelo imperador romano Julio Cezar. Desde então, faz parte de nossas vidas, em todo o mundo. Independe da época e dificilmente desaparecerá.

Por tudo isso, as empresas de comunicação aderiram às plataformas digitais, entendendo que todas as formas de comunicação são complementares. E, assim sendo, trataram de investir em novos projetos gráficos, reestruturando e modernizando publicações - de jornais e revistas - impressas. Com as distâncias geográficas cobertas a partir de um clique, resta a adequação aos novos tempos. Fato que a direção de A VOZ DA SERRA avaliou e assumiu, visando a novas conquistas.  

A VOZ DA SERRA atua em várias frentes: além do novo formato do nosso suplemento de fim de semana, nosso site, também com mais de 20 anos, está cada vez mais dinâmico e abrangente, assim como a página do Facebook; e há seis meses, inauguramos nosso estúdio, onde as reportagens do impresso são gravadas para inclusão nas demais plataformas. Tudo feito com carinho, para vocês, leitores!

 

TAGS: