Vidas em risco

quarta-feira, 04 de abril de 2018
por Jornal A Voz da Serra

O TRÂNSITO friburguense continua mostrando que o cidadão ainda precisa considerar a educação para permitir uma melhor convivência entre o homem e a máquina. Dentre as ocorrências apuradas pelo 6º Grupamento de Bombeiro Militar, pelo menos 677 podem demonstrar esta preocupante situação em Nova Friburgo.

O BRASIL é um dos recordistas de acidentes de trânsito nas Américas. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), temos uma taxa de 23,4 mortes no trânsito para cada 100 mil habitantes e esse é o quarto pior desempenho no continente americano.

O NÚMERO DE veículos emplacados no município reforça a necessidade de se adotar medidas preventivas que não dependem apenas da fiscalização. Dependem, fundamentalmente, da sociedade se conscientizar dos riscos do trânsito e cumprir a legislação.

PESQUISA realizada pelo Ministério da Saúde revela que aproximadamente um quarto dos brasileiros que conduzem veículos insistem em desobedecer a lei e colocar sua vida e as de outras pessoas em risco. De acordo com o levantamento, 24,3% dos motoristas afirmam que assumem a direção do veículo após ingerir bebida alcoólica.

INSISTIR NA educação e conscientização é fundamental nessa cruzada dos tempos modernos. Se esses elementos estivessem mais presentes, a lei seca nem mesmo seria necessária. Qualquer mudança cultural se faz aos poucos. Nesse sentido, há exemplos clássicos, como o uso do cinto de segurança, de capacete por parte de motoqueiros e ciclistas e da proibição do consumo de cigarros em ambientes fechados.

OS RESULTADOS positivos confirmam a importância de se manter e intensificar as ações educativas, de fiscalização e mobilização. É importante investir maciçamente na manutenção da fiscalização e prevenção, visando um trânsito mais humano e menos violento. Educar para o trânsito é educar para a vida.

  

TAGS: