Valmir Tavares: história de amor e amizade entre um homem e a natureza

Outra paixão dele é a fotografia: Valmir registra tudo o que vê nos passeios e compartilha quase que diariamente com seus quase quatro mil amigos das redes sociais
sábado, 20 de julho de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Valmir numa de suas excursões pelas montanhas friburguenses (Fotos: Valmir Tavares)
Valmir numa de suas excursões pelas montanhas friburguenses (Fotos: Valmir Tavares)

 

Valmir Tavares tem 53 anos, é comerciante, dono de uma mercearia, divorciado (prestes a se casar novamente), pai de dois gêmeos de 19 anos e um apaixonado pela natureza e por fotografia. Além de conhecer cada uma das inúmeras montanhas, trilhas e paisagens de Nova Friburgo, ele faz questão de registrar tudo e compartilhar com os quase quatro mil amigos que tem no Facebook: “Não sou guia de turismo. Sou apenas uma pessoa que ama a natureza. Faço por amor ao meio ambiente e à Nova Friburgo”, pontua Valmir.

“Tenho um público muito grande nas redes sociais de idosos e pessoas com deficiência física. São amigos que fiz por conta da minha paixão. Eles ficam esperando eu publicar minhas fotos. Se passo alguns dias sem publicar nada, eles me cobram: ‘Poxa, Valmir. Cadê as fotos? Aconteceu alguma coisa? Acompanho as belezas de Friburgo através dos seus cliques. Por isso, mesmo que eu quisesse, não posso parar de fotografar”, conta Valmir, orgulhoso de seu público fiel nas redes sociais.

Ele também conta que o interesse por fotografia começou por causa da paixão pela natureza. Valmir revela que foi criado no Cascatinha, bairro rodeado por muito verde e belas montanhas, e por volta dos 8 anos de idade já frequentava trilhas e montanhas em Nova Friburgo na companhia de familiares. De lá pra cá esse encanto pelas belezas naturais da cidade só aumentou.

Grupo de amantes da natureza ajuda na preservação

Impulsionado por esse amor, Valmir e um grupo de amigos se uniram há cerca de cinco anos para divulgar os principais pontos turísticos de Nova Friburgo. Ele queria que outras pessoas conhecessem esses locais que ele já visita há muito tempo. E conseguiu.

“Depois que começamos com esse trabalho, muita gente começou a visitar o Pico do Caledônia, Chapéu da Bruxa, Pedra das Catarinas e a Pedra do Imperador. Mas, infelizmente, nem todo mundo tem consciência ambiental e deixa lixo para trás. Agora iniciamos um trabalho para limpar essas áreas. Toda vez que subimos, levamos algumas sacolas e recolhemos todo o tipo de lixo que encontramos pelo caminho”, revela Valmir, que põe a mão na massa para preservar o meio ambiente.

O vídeo da água congelada

Valmir também denuncia queimadas, desmatamentos e outros absurdos cometidos pelo ser humano nomeio ambiente. Tudo em prol da natureza. E não é só isso. As mesmas fotos e vídeos que servem para encantar e atrair turistas e visitantes aos pontos turísticos de Nova Friburgo, também serve para alertar a população sobre os riscos e perigos que a própria natureza oferece.

Há cerca de três anos, toda vez que o tempo esfria drasticamente no início do inverno, Valmir Tavares faz a mesma experiência para alertar montanhistas inexperientes. Ele sobe o Pico do Caledônia no fim da tarde, deixa uma garrafa com água e retorna para buscá-la na manhã seguinte. O resultado pode ser visto em um dos vídeos mais visualizados do perfil do comerciante: a água congelada. Só esta publicação recebeu mais de 500 reações, 340 comentários e foi compartilhada mais de 1.200 vezes.

“Lá em cima chega a marcar cinco, seis graus negativos. Não aconselho ninguém a subir o Pico do Caledônia nessas condições. É muito arriscado. Quem se arriscar pode sofrer de hipotermia. Essa foi a maneira que encontrei de alertar, principalmente, os jovens e turistas que não conhecem a montanha no inverno extremo. É realmente perigoso. Não é brincadeira”, alerta Valmir Tavares.

 

TAGS: Meio Ambiente | Turismo