Usina de Asfalto vai voltar a funcionar

Convênio entre prefeitura e DER-RJ foi assinado na última sexta-feira, 6
sábado, 07 de dezembro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
O prefeito Renato Bravo e o presidente do DER, Uruan Andrade, celebrando a assinatura do convênio (Foto: Rogério Dias)
O prefeito Renato Bravo e o presidente do DER, Uruan Andrade, celebrando a assinatura do convênio (Foto: Rogério Dias)

Uma parceria entre a Prefeitura de Nova Friburgo e o Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (DER-RJ) vai viabilizar a retomada do funcionamento da Usina de Asfalto do município, na Chácara do Paraíso, parada há pouco mais de um ano. No convênio assinado na última sexta-feira, 6, no gabinete do prefeito Renato Bravo, ficou estabelecida uma relação de serviços, sem repasse de recursos financeiros. Com a formalização do contrato, a usina já pode voltar a funcionar.

Com investimentos oriundos do Governo do Estado do Rio, o DER-RJ será o responsável por abastecer a usina de asfalto com o material necessário para sua plena operação, promovendo melhorias nas vias municipais, rodovias estaduais, além da manutenção de estradas nos municípios vizinhos.

“O prefeito mostrou ser sensível ao dispor a usina para que possamos beneficiar  também outros municípios. Queremos ajudar Nova Friburgo e o município poderá ajudar o Estado com essa parceria”, destacou Uruan Cintra de Andrade, presidente do DER-RJ. Já de acordo com o prefeito Renato Bravo, o retorno da usina de asfalto poderá ajudar a incrementar a atividade turística do município, além de melhorar a qualidade de vida da população friburguense. 

“Vamos fazer um grande trabalho. Esta solução dá qualidade de vida à população, atrai mais turistas, além de fazer com que a cidade fique mais bonita e organizada. É um trabalho completo. Estamos juntos fazendo uma política séria, com transparência e parcerias que são boas para a comunidade”, comemorou Bravo.

Também presente ao encontro, o deputado estadual friburguense Sérgio Louback já havia se reunido com o presidente do DER-RJ há cerca de um mês com a proposta de retomar o funcionamento da usina de asfalto em prol de todo o estado. “Recebemos muitas demandas com relação às estradas municipais e estaduais. Por isso, estamos buscando junto ao DER-RJ soluções para os problemas de acesso das cidades do interior. Essa parceria vai beneficiar a toda a região”, destacou o deputado.

Após a assinatura do convênio, as autoridades fizeram uma visita à usina de asfalto, no alto da Chácara do Paraíso, e no trajeto vivenciaram a precariedade da RJ-150 (Nova Friburgo-São José do Ribeirão) que está cheia de buracos e será uma das beneficiadas com o convênio. A qualidade da estrutura da usina impressionou o presidente do DER-RJ, que informou que o Estado do Rio possui apenas duas usinas de asfalto a quente, sendo positiva a possibilidade de utilização da estrutura municipal para atender a região.

Usina de asfalto 

Inaugurada oficialmente no dia 4 de setembro de 2015, na gestão do prefeito Rogério Cabral, a usina tinha a finalidade de tornar Nova Friburgo autossuficiente na produção de asfalto, com capacidade para produzir 80 toneladas de massa asfáltica por hora — cerca de 800 metros quadrados. O equipamento foi instalado anexo ao terreno da antiga usina de asfalto, no alto da Chácara do Paraíso.

O investimento feito pela prefeitura para a aquisição de mais de 50 equipamentos novos - entre caminhões, retroescavadeiras, veículo com placa vibratória, cortador de asfalto, rolo compactador e 24 caminhões de diversos modelos - foi de aproximadamente R$ 10 milhões, financiados pelo BNDES em 54 parcelas, através de convênio firmado com o Banco do Brasil.

Asfalto a quente

O asfalto a quente é o tipo de maior durabilidade, podendo ficar até cinco anos sem apresentar nenhum problema na malha viária, se produzido e aplicado da maneira correta. Para manter a qualidade, segundo especialistas, basta apenas passar uma pequena camada após esse período de tempo. A mistura é colocada sobre uma base com bica corrida e espalhada por uma máquina acabadora. A fim de se evitar irregularidades na superfície, são feitas correções manuais pelos funcionários. 

Imediatamente após a distribuição do concreto betuminoso é feita a compressão com rolo metálico liso. A usina de asfalto a quente gera ganhos em qualidade e rapidez no processo de asfaltamento das vias, diferente do asfalto utilizado com mistura a frio, de qualidade inferior e menor vida útil.

 

Foto da galeria
(Foto: Victor Bravo)
TAGS: usina de asfalto