Unido para o futuro

quinta-feira, 07 de abril de 2016
por Jornal A Voz da Serra

A CRISE BRASILEIRA vem ganhando espaço na imprensa internacional há algum tempo, e embora o governo e seus partidários a tratem como “mídia golpista”, tal fato mostra a preocupação pelos desdobramentos que podem desestabilizar a harmonia social, com interferência nas demais nações emergentes da América Latina. Os efeitos também são percebidos no mundo político e financeiro. 

A ORGANIZAÇÃO das Nações Unidas (ONU) tem manifestado preocupação com o impasse político brasileiro, por temer que uma eventual ruptura institucional tenha forte impacto internacional e contamine governos da região onde os processos democráticos ainda são frágeis. Como se vê, o problema não é apenas interno e sem maiores consequências. 

FALANDO SOBRE a crise do Brasil, o secretário-geral Ban Ki Moon pediu que os líderes de todos os setores envolvidos diretamente na questão adotem soluções harmoniosas e tranquilas. É, também, o que desejam os brasileiros realmente preocupados com o futuro do país, acrescentando-se mais duas precondições: que a solução seja rápida e rigorosamente constitucional. 

O PAÍS ESTÁ diante de uma encruzilhada histórica, que aponta para duas direções bem nítidas: o impeachment da presidente Dilma Rousseff, que a cada dia se torna mais viável devido ao crescimento das forças políticas contrárias ao governo, e a permanência da presidente no cargo, apesar de fragilizada e aparentemente sem capacidade de retirar o país da crise econômica e política em que se encontra. 

A ECONOMIA nacional está estagnada. Os indicadores econômicos não apresentam resultados estimulantes, a produtividade industrial está em queda, o comércio não vende e o desemprego aumenta em escala preocupante. Além disso, a inércia do governo em apresentar medidas que favoreçam o crescimento, devido ao impasse político com o Congresso Nacional retarda qualquer perspectiva favorável para este primeiro semestre. Estamos perdendo tempo. 

O QUE SE PODE desejar, diante do atual cenário, é que o país encontre uma saída rápida e pacífica para o impasse, valendo-se da eficiência de suas instituições para assegurar ao povo brasileiro o irrestrito cumprimento da Constituição e das leis, evitando assim que as paixões exacerbadas derivem para a instabilidade social e para a violência.

AINDA QUE algumas instituições possam estar contaminadas por interesses políticos e até pela corrupção estrutural que só agora começa a ser enfrentada com seriedade, temos que confiar na nossa democracia e acreditar que o Congresso e o Judiciário saberão cumprir as suas atribuições constitucionais. O importante é que, independentemente do caminho a ser escolhido, o povo brasileiro siga unido para o futuro. 

 

TAGS: