Tratamento revolucionário para hérnia de disco e patologias da coluna

quinta-feira, 14 de novembro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Julia Alvim e Hevelyn Frossard
Julia Alvim e Hevelyn Frossard

Em entrevista exclusiva ao Caderno Z, as fisioterapeutas friburguenses Julia Alvim e Hevelyn Frossard - membras da Associação Brasileira de Reabilitação da Coluna (ABRColuna) e sócias-proprietárias do ITC Vertebral Nova Friburgo - falam das queixas mais frequentes em consultórios médicos e clínicas de fisioterapia, em todo o mundo: a dor nas costas e as alterações degenerativas da coluna. 

Segundo as especialistas, estima-se que pelo menos 36% da população brasileira sofra com dor nas costas e apenas 68% dos atingidos buscam tratamento, de acordo com pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz, (Fiocruz). 

“Sabe-se que a dor na coluna possui causas diversificadas, ou seja, inúmeros fatores de risco para o desenvolvimento do quadro de dor, como posturas estáticas por longos períodos, atividades laborais que exijam força contínua, imobilidade, sedentarismo, tabagismo, dentre outros”. 

De acordo com Hevelyn, os profissionais de saúde ainda não conseguiram desenvolver na sociedade o senso de importância da promoção da saúde, com a construção de uma vida saudável em aspectos como alimentação saudável, controle do nível de estresse e prática regular de atividade física. 

“A saúde da coluna está intimamente ligada a estes fatores, incluindo aspectos psicossociais, como controle da ansiedade e depressão”, ressaltou, acrescentando que é comum atenderem pacientes adoecidos, como um todo, com elevados níveis de estresse, sedentarismo e tabagismo, e dores crônicas. 

Controle efetivo da dor

Sobre o tratamento ideal para as dores na região da coluna, Hevelyn ressalta que há algum tempo predominava uma linha de abordagem que supervalorizava a importância de exames de imagens, medicamentos e cirurgias. 

E cita um importante estudo publicado em março de 2018, em um dos mais respeitados periódicos científicos da atualidade The Lancet, que envolve profissionais de diferentes áreas de saúde do mundo, no qual aponta que na maioria dos casos analgésicos, exames de imagem e cirurgias não resultam em melhora efetiva dos quadros de dor, ou seja, não resolvem a queixa principal do paciente. 

“Esses procedimentos podem trazer melhora a curto prazo, porém em nada auxiliam a retomada da funcionalidade da coluna vertebral, ponto crucial quando falamos em controle de dor nas costas. Para que haja controle efetivo na dor é preciso que aspectos fundamentais sejam enfatizados, sendo imprescindível manter adequada flexibilidade muscular, mobilidade articular preservada, eficiente força muscular de estabilizadores de coluna além de musculatura geral com capacidade contrátil garantida”, enfatizou. 

Ela lembra que há inúmeros tratamentos alternativos para dores na coluna, que prometem melhora significativa no quadro do paciente mas que devemos priorizar os tratamentos baseados em evidências científicas, ou seja, aquele com comprovação de sua efetividade para melhora da dor e funcionalidade da coluna e do corpo.

Etapas de tratamentos 

O ITC Vertebral utiliza o método RMA (Reconstrução Músculo Articular) para o tratamento das diversas causas de dor em coluna. Um de seus diferenciais é o tempo de duração do programa: em apenas dois meses são obtidos 87% de bons resultados, até em pacientes com sintomas mais importantes como a dor ciática, por exemplo. O progresso deve-se às cinco etapas do protocolo, segundo informou Julia, que detalhou cada uma delas: 

Avaliação física com software de Inteligência Artificial

A avaliação do paciente consta de um algoritmo, um software com Inteligência Artificial, que auxilia o fisioterapeuta na tomada de decisão clínica mais assertiva para cada caso. Este tipo de avaliação direciona o tratamento para resultados mais eficazes, em curto espaço de tempo.

Fisioterapia manual 

O fisioterapeuta realiza manipulações e mobilizações articulares, em associação com alongamentos musculares específicos que promovem o alívio da dor, acelerando o processo de melhora dos sintomas. Dentre as técnicas utilizadas destaca-se o método Mackensie, que se diferencia por ter grande aplicabilidade na rotina do paciente, com resultados rápidos e seguros. 

De acordo com Julia, “o método Mackensie é realmente um grande diferencial em nosso tratamento pois além de promover alívio da dor em curto espaço de tempo, promove a educação do paciente para a manutenção de uma coluna saudável no pós-tratamento. Com base nesse conceito, exercícios específicos são orientados para a execução na residência dos pacientes, otimizando nossos resultados”.  

Mesa de tração eletrônica 

Pesquisas realizadas nos EUA apontam que técnicas de tração vêm sendo utilizadas com sucesso, durante anos, no tratamento das discopatias e doenças degenerativas da coluna vertebral, em especial as dores de origem compressivas, como a dor ciática, por exemplo. O equipamento de tração possibilita inúmeros benefícios como aumento dos espaços intervertebrais, alongamento dos músculos espinhais, melhora da circulação local e diminuição da compressão na raiz nervosa. É possível a aplicação em regiões cervicais e lombar, utilizando protocolos de segurança internacionais.

Mesa de flexo-descompressão

Tal equipamento permite a realização de descompressão dinâmica da coluna com associação de movimentos em flexão, extensão e movimentos laterais. Permite-se o conforto do paciente quanto às suas posições de preferência, até a total recuperação e adequação do indivíduo.  

“A maca flexo-descompressão nos permite movimentar a coluna de forma suave e conforme a capacidade atual de cada paciente. Progressivamente, conseguimos alcançar movimentos maiores e mais funcionais, garantindo o relaxamento de estruturas antes comprimidas”, explicou Julia.

Estabilização vertebral

Utiliza-se um aparelho destinado a registrar alterações de pressão, por meio de uma bolsa pneumática, que permite detectar o movimento da coluna e suas compensações durante exercícios dinâmicos. A progressão de exercícios com qualidade garante o reforço da musculatura estabilizadora da coluna, tornando-se indispensável para diminuir as chances das tão temidas crises recorrentes de coluna.

Segundo Hevelyn, após o término das sessões previstas é fundamental buscar alternativas para manter os benefícios decorrentes do tratamento. “Serão necessários estímulos frequentes e graduais que garantam a integridade das estruturas musculoesqueléticas envolvidas e previnam novas crises. Manter-se ativo e em práticas regulares de atividade física é indispensável para a saúde da coluna”.

Muitos casos relacionados à coluna, como hérnia de disco ou degeneração discal, podem evoluir para problemas que vão durar a vida inteira e não necessariamente, apresentam sintomas algum. São problemas “silenciosos”, ressaltou Julia. Segundo ela, 70% das pessoas com 60 anos tem hérnia de disco e não necessariamente apresentam sintomas desta disfunção. “O que se faz necessário é manter a função da coluna saudável e funcional para que seja possível garantir a qualidade de vida do indivíduo”, reiterou.

Mais importante do que fazer exames de imagem é criar disciplina para manter hábitos saudáveis, práticas regulares de atividades físicas respeitando as condições do corpo em cada momento da vida. Em caso de dor ou dificuldade de se movimentar, é importante procurar a ajuda de um fisioterapeuta, profissional adequado para dar o direcionamento adequado. 

“Lembrando que a solução adequada jamais será a imobilidade. Ficar parado ou com medo de se movimentar só piora o problema”, reafirmaram as especialistas. 

 

Depoimentos de pacientes

 

Sra. Luzia Rodrigues Correa, 71 anos, aposentada: 

"Cheguei à clínica com fortes dores na coluna, em cadeira de rodas, precisando de apoio para andar. Com quinze dias de tratamento eu voltei a andar normalmente. Todos os profissionais trabalham muito bem com a gente. Me senti muito bem! Agora, concluído o tratamento do ITC, consigo realizar as atividades do dia a dia e fui encaminhada para fazer pilates."

 

Sr. Georg Robles Oliveira da Silva, 32 anos, trabalha embarcado e pratica jiu-jitsu: 

"Antes de chegar ao ITC Vertebral de Nova Friburgo, estive incapacitado por três semanas e passado por dois excelentes médicos que me indicaram a cirurgia. No entanto, sendo atleta de jiu-jitsu me vi afastado dos treinos e competições que amo. Tive ótima resposta com o ITC. Pra mim está sendo muito bom, estou na 10° sessão, já treino normalmente e penso em voltar a competir." 

 

Sobre o ITC

O ITC Vertebral - Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral - é a primeira franquia no Brasil, com ênfase nas hérnias de disco e processos degenerativos da coluna. Aliada à tecnologia americana, desenvolveu a mais efetiva e segura metodologia com resoluções rápidas e confortáveis, embasadas em evidências científicas e com assertividade assegurada em  87% dos casos. 

Hoje são 95 unidades espalhadas no território nacional, com vantagem da interligação entre as unidades e treinamento contínuo dos profissionais, e com mais de 53.000 mil pessoas atendidas em uma de suas unidades. O atendimento é feito somente via particular.

“Chegamos em Nova Friburgo há um ano, com um tratamento com grande diferencial e excelentes resultados comprovados. Fazemos um tratamento específico e individualizado, onde o paciente é co-autor em sua recuperação. Utilizamos terapias manuais reconhecidas internacionalmente, com o auxílio de tecnologia para as descompressões da coluna que, aliado a pacientes encorajados e orientados nos garante resultados realmente excelentes“, informou Julia Alvim. 

 

TAGS: