Temporal causa estragos em diversos bairros da cidade no domingo

Distrito de Amparo foi um dos mais atingidos: 15 pessoas estão desalojadas
segunda-feira, 23 de dezembro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Em Amparo, não se sabe onde é ponte e onde é rio (Fotos de leitores)
Em Amparo, não se sabe onde é ponte e onde é rio (Fotos de leitores)

O forte temporal do último domingo, 22, trouxe de volta o fantasma de um cenário trágico. Milhares de friburguenses reviveram o terror da noite da madrugada de 12 de janeiro de 2011. Não houve vítimas, mas 15 pessoas estão desalojadas. O balanço da Defesa Civil lista três imóveis foram interditados na Rua Raul Veiga (Olaria);  inundação no Barroso (Amparo) com a interrupção do tráfego, atingindo diversas residências; enxurrada no Loteamento Tiradentes (Amparo); escorregamento no Jardim do Éden; e duas casas interditadas, uma no Sítio da Pedra e outra na Granja Spinelli.

O distrito de Amparo foi um dos mais atingidos pela força das águas. Segundo relatos, confirmados por voluntários de grupos de apoio e da Cruz Vermelha de Nova Friburgo, além do presidente da Associação de Moradores de Amparo, Heroído Moraes, a água invadiu as casas, deixando um rastro de lama e destruição. O centro do distrito é lama pura, segundo ele. Ainda de acordo com Heroído, teve gente que perdeu móveis, eletrodomésticos, alimentos e roupas, às vésperas do Natal.

Luiz Cláudio Rosa, presidente voluntário da Cruz Vermelha de Nova Friburgo, afirmou que a entidade atendeu a diversas ocorrências no distrito, junto com o Núcleo de Proteção da Defesa Civil Comunitário (Nupdec) dos moradores de Amparo. Voluntários ajudaram a resgatar três cavalos e duas pessoas que ficaram ilhadas em Amparo. Outra equipe da entidade ajudou a cortar árvores que caíram e bloquearam a estrada da Granja Spinelli, nas proximidades do Vale dos Pinheiros. 

Na Granja Spinelli, a queda de algumas árvores provocou a interrupção do trânsito na estrada que liga o bairro à RJ-130 (Terê-Fri). Com a ajuda de voluntários, as pessoas conseguiram desobstruir as vias, parcialmente, para a passagem de carros de passeio. Em Santa Bernadete, moradores ficaram sem energia até o início da madrugada desta segunda.

No Parque São Clemente, na região do Estádio Eduardo Guinle, por pouco o Rio Cônego não transbordou. As ruas ao redor do estádio ficaram alagadas e o nível do rio atingiu altura máxima. Todos os funcionários da Subprefeitura de Olaria, incluindo os que estavam de recesso, foram acionados para fazer a limpeza.

Em Olaria, a ruptura de uma galeria alagou imóveis e causou prejuízos para confecções locais.

Na RJ-116, perto de um restaurante, em Mury, o leitor Raphael Ramalho informou à redação que um poste caiu por volta das 21h de domingo, impedindo o tráfego nas duas pistas. Os carros que vinham da serra de Cachoeiras em direção a Friburgo tiveram que contornar o bloqueio pela antiga estrada do trem (Rua Gertrudes Stern). “Como essa rua é estreita e feita em terra batida, o trânsito ficou caótico e bem lento”, escreveu.

Um leitor, morador do Cascatinha, afirma que na casa dele, na Vila Aruanda, “toda vez que chove a água vaza da manilha e faz uma cascata que entra pelo corredor da casa e fez um buraco na calçada. Há três anos isso acontece e até hoje ninguém da Prefeitura resolveu. Essa manilha que fica atrás da casa”, escreveu ao jornal, indignado.

Comitê emergencial

Em nota, a Defesa Civil informou que a Prefeitura de Nova Friburgo mobilizou suas equipes em regime de plantão para o acompanhamento in loco e o atendimento das áreas que foram atingidas pelas chuvas de domingo. Em reunião na manhã desta segunda no gabinete do prefeito Renato Bravo estiveram presentes membros da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar e representantes das concessionárias de água e energia, da Faol e da EBMA, tendo como objetivo a formação de um comitê emergencial.

Em nota divulgada na tarde desta segunda, a prefeitura informou que, na reunião, foi feito um balanço de todas as medidas tomadas e discutidos procedimentos para que o atendimento seja cada vez mais ágil, integrando as ações do Executivo e das instituições envolvidas. Todas as entidades representadas confirmaram que estarão com seus serviços em regime de plantão e que trabalharam de forma integrada e somando esforços. 

Renato Bravo destacou que o momento é de união: “Estamos atentos em uma verdadeira força-tarefa para atender a população. Trabalharemos em parceria com todas as instituições. O mais importante é cuidar das pessoas. Seguiremos fazendo os reparos, as melhorias necessárias, e ainda, em parceria com as instituições, implementaremos campanhas de conscientização sobre o descarte do lixo”.

Segundo o prefeito, as informações foram levantadas através das secretarias e das câmeras da Cidade Inteligente. O secretário municipal de Defesa Civil, Robson Teixeira, comentou sobre a importância de a população seguir as informações passadas pelos canais oficiais e evitar compartilhar notícias falsas, a fim de não gerar alardes desnecessários.

Previsão do tempo

De acordo com o Instituto Climatempo, o tempo segue instável na Região Serrana, com possibilidade de novas chuvas a qualquer hora. O mau tempo só deve dar trégua no fim de semana, mas novas instabilidades estão previstas para a segunda-feira, 28.

O secretário de Defesa Civil disse que há previsão de chuva forte inclusive no dia de Natal.

Como ajudar

Até as 16h desta segunda, o Cras do Centro estará recebendo doações de roupas adulto e infantil e também de cama e banho para as famílias que ficaram desalojadas em virtude das fortes chuvas. Produtos alimentícios não perecíveis também podem ser doados. Nos dias 26 e 27, as doações poderão ser feitas das 9h às 17h. O Cras Centro fica na Rua Mac Niven, próximo à Igreja Católica São Bento.

A Cruz Vermelha também está recebendo doações de alimentos não perecíveis, roupas, materiais de higiene e limpeza. Quem quiser doar pode se dirigir à sede da entidade (Praça Pres. Getúlio Vargas, 92 – Centro), das 13h às 18h.

Itinerários dos ônibus

A direção da Nova Faol divulgou a alteração de algumas linhas de ônibus por conta das chuvas. Dez linhas foram impactadas, sendo uma suspensa e duas interditadas até segunda ordem. Confira abaixo as mudanças:

  • Amparo/Tiradentes: indo até o campo devido à queda de parte da rua.

  • Alto do Schuenck: interditada pela Defesa Civil. Aguardando vistoria da ponte.

  • Amparo/Barroso: interditada pela Defesa Civil. Aguardando vistoria da ponte.

  • Alto do Catete: suspensa devido a lama na estrada.

  • Bairro Novo: manobrando no local da antiga manobra.

  • Granja Spinelli: indo até a antiga Operária, devido a árvore caída na rua.

  • Perissê: indo até o nº72 da Rua Campos Sales, devido a buraco na estrada.

  • Retiro: manobrando um ponto antes do ponto final devido a buraco na rua.

  • Rui Sanglard: indo e voltando pela rua que sobe devido ao buraco na rua onde o carro desce.

  • Toledo: indo até a Fazenda Bela Vista devido à lama na estrada.

Veja mais fotos do temporal, enviadas por leitores, na galeria abaixo:

 

  • O Rio Bengalas não transbordou, mas o Suspiro ficou inundado

    O Rio Bengalas não transbordou, mas o Suspiro ficou inundado

  • Árvores caíram na Praça Getúlio Vargas

    Árvores caíram na Praça Getúlio Vargas

  • Os tapumes da Estação Livre não resistiram à ventania

    Os tapumes da Estação Livre não resistiram à ventania

  • Alagamento no Amparo

    Alagamento no Amparo

  • Rua no Amparo é pura lama

    Rua no Amparo é pura lama

  • Confecção em Olaria inundada pela correnteza que desceu do Alto do bairro

    Confecção em Olaria inundada pela correnteza que desceu do Alto do bairro

TAGS: Clima