Supercopa SAF fortalece o futebol amador em Nova Friburgo

Times mais fortes, selo dos 200 anos e amistoso com Frizão são alguns dos resultados do torneio
quarta-feira, 02 de agosto de 2017
por Vinicius Gastin
Secretário de Esportes revela projeto para reunir jovens valores e disputar amistoso contra o Friburguense
Secretário de Esportes revela projeto para reunir jovens valores e disputar amistoso contra o Friburguense

Fim dos jogos, mais um passo dado para o fortalecimento do futebol amador de Nova Friburgo. A Supercopa SAF 2017 registrou um total de 27 partidas, sendo 20 na fase de grupos e outras sete na fase mata-mata. Foram 98 gols marcados, resultando na alta média de 3,6 bolas na rede por partida. O campeonato termina com um campeão inédito, o Unidos do Alto, do Alto de Olaria, e com a certeza de ter sido a mais equilibrada competição de todos os tempos.

“Essa foi a edição mais equilibrada de todas. Percorremos vários campos da cidade, com jogos competitivos. As equipes derrotadas perderam com placares mínimos. Tenho que agradecer aos diretores das dez equipes que participaram. Unidos do Alto e São Lourenço vinham batendo na trave, chegando às fases finais, e mereceram estar na decisão. No dia da final tivemos um grande evento pra família, com as crianças jogando amistosos desde cedo, todas elas premiadas com medalhas. Foi uma grande festa”, avalia Jailson Silveira, membro da comissão organizadora da Supercopa.

O equilíbrio, inclusive, é considerado pelos organizadores como o maior legado da edição deste ano. O sistema de disputa, a organização e a maneira como os clubes devem proceder para buscar a classificação aumentam a necessidade de planejar a montagem das equipes meses antes de a bola começar a rolar. A Supercopa reúne campeões de bairros e distritos, o que motiva os clubes a se reforçarem para a competição. Os resultados menos elásticos e os duelos parelhos confirmam a tese.

“Sim, o fato de os times estarem mais fortes é o grande legado. Essa é a quinta Supercopa, desde o projeto apresentado pelo então secretário de Esportes, Renato Satyro, e apoiado pelo Márcio Branco. Tudo evoluiu, especialmente com a parceria da Prefeitura e de profissionais como o Carlinhos (Carlos Mesquita) e Wanderley Patueli, que são incansáveis. A gente tenta aprimorar, e todo mundo quer participar. Hoje todo mundo que joga campeonato de bairro ou distrito almeja participar da Supercopa, o que exige planejamento e melhorias”, reforça.

Este ano a Supercopa SAF contou com o respaldo da Liga Nova Friburgo de Desportos, elevando os patamares de credibilidade e institucional do campeonato. Também membro da direção da entidade, Jailson Silveira ressalta ainda a importância do apoio dos clubes, não só neste, como em outros torneios esportivos. “A Liga também pensa em reestruturar o futebol amador e de base de Nova Friburgo. Estamos promovendo competições do sub-11, sub-13 e temos pela frente o sub-20 e o futebol feminino. A Liga possui a chancela da Federação, e com isso a respeitabilidade e o comprometimento é maior. Embora não tenhamos subvenções, temos o apoio dos clubes para promover as atividades.”

Apesar de não ser oficial ainda, a Supercopa muito provavelmente estará no calendário esportivo municipal em 2018, em sua sexta edição. A ideia, inclusive, é relacionar o maior evento de futebol amador do município às comemorações pelos 200 anos de Nova Friburgo. “A Supercopa SAF está incluída no projeto do símbolo dos 200 anos de Nova Friburgo. Não paramos para conversar, mas a ideia é fazer uma competição ainda maior.”

Talentos no Frizão?

Ao todo, dez equipes participaram da Supercopa 2017. Vargem Alta, São Lourenço, SB City, Nova Friburgo, Barroso, Tio Dongo, Unidos do Alto, São Luiz, Amparo e Estrela do Mar representaram os respectivos bairros e distritos, e a maioria teve a oportunidade de receber uma rodada perto de sua comunidade. As partidas aconteceram em Stucky, Amparo, Olaria, Conselheiro Paulino, Vargem Alta e São Pedro da Serra, sempre aos domingos, reunindo as famílias nos campos de futebol.

O secretário de Esportes de Nova Friburgo, Waldemir Veloso, diz estar surpreendido com a quantidade de equipes amadoras existentes no município. Quanto a comentada necessidade de apoio a atletas e ao desporto da cidade, o secretário afirma que a pasta enfrenta dificuldades e busca superá-las através do apoio da iniciativa privada.

“Fui à final de vários campeonatos, e também estou descobrindo a quantidade de times que existem em Nova Friburgo. É muito mais do que imaginava. Na final da Supercopa a gente viu o estádio lotado. O caminho é apoiar o esporte, mesmo com o orçamento reduzido. Estamos correndo atrás, e até o momento não gastamos nenhum valor da secretaria. Exatamente porque não temos. Praticando o esporte a gente evita outras coisas, obviamente, mas hoje há prioridades como a saúde. O prefeito me prometeu um apoio maior no próximo ano. E não é só no futebol, como também em outros esportes. Temos conseguido o apoio de empresas privadas para promover os eventos”, afirma.

Uma revelação interessante feita pelo secretário de esportes é sobre a possível parceria com o Friburguense. A ideia é montar uma seleção com os melhores jogadores da Supercopa, considerando a idade e as possibilidades para de uma futura profissionalização para realizar um amistoso com o Tricolor da Serra. Na ocasião, jovens valores poderiam ser observados e integrados às categorias de base do clube.

“Já conversei com o Siqueira (gerente de futebol do Friburguense), e nós queremos fazer uma seleção do campeonato com jogadores da cidade, com até certa idade. Faríamos um amistoso com o Friburguense para observar quem pode ser aproveitado. Está mais ou menos acertado, mas seria bastante interessante para todos os lados”, avalia Waldemir.

 

TAGS: futebol