Sem ambulância em São Pedro, turista passa mal e morre

Homem teve que ser socorrido por moradores, mas não resistiu enquanto era levado, em carro comum, para o Raul Sertã
segunda-feira, 19 de março de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
O distrito de São Pedro da Serra: sem socorro (Arquivo AVS)
O distrito de São Pedro da Serra: sem socorro (Arquivo AVS)

Um turista de 39 anos morreu no último sábado, 17, após passar mal no distrito de São Pedro da Serra, em Nova Friburgo. Sem pronto-socorro 24 horas na região ou ambulância, ele foi levado por moradores para o Hospital Municipal Raul Sertã, no Centro, mas não resistiu e morreu antes de chegar à unidade.

De acordo com a Associação de Moradores de São Pedro da Serra, o homem estava na Praça João Heringer com a família quando começou a se sentir mal. Moradores tentaram socorrer o turista, mas não conseguiram reanimá-lo. Foram ao posto de saúde, mas a unidade estava fechada, e não conseguiram acionar uma ambulância.

Como o socorro pelo Corpo de Bombeiros levaria, ao menos, 40 minutos para chegar ao distrito, moradores decidiram levar o homem, em um carro comum, para o Hospital Municipal Raul Sertã, no Centro, a cerca de 38 quilômetros do local. O turista, porém, não resistiu e morreu a caminho da unidade. Ele teria sofrido uma parada cardiorrespiratória.

O homem, cuja identidade ainda não foi divulgada, morava em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e estava hospedado em uma pousada no distrito de Lumiar com a esposa, a filha de 14 anos e um sobrinho.

As associações de moradores de São Pedro da Serra e Lumiar lamentaram a morte e disseram, em nota, que os dois destinos turísticos, com mais de 15 mil habitantes, sofrem com “o abandono pela gestão municipal” não só saúde, mas também nas estradas, no transporte público, na coleta de lixo, em escolas públicas e no apoio ao setor turístico.

Em nota, a Secretaria municipal de Saúde informou que a presença de uma ambulância para atender os distritos de Lumiar e São Pedro da Serra é uma demanda antiga dos moradores e que foi atendida no atual governo Renato Bravo. “No entanto, o veículo que foi colocado para prestar apoio a essas localidades precisou ser realocado para transportar a grande demanda de pacientes em tratamento no Rio de Janeiro (Inca e Into) e também no Hospital de Paraíba do Sul. Enquanto isso, já está em fase de conclusão o conserto de uma outra ambulância que poderá dar suporte ao quinto e sétimo distritos”, diz o texto.

Acisps reage: "cidadãos de segunda classe"

A Associação do Comércio e da Indústria de São Pedro da Serra (Acisps) disse considerar a morte do turista um fato gravíssimo, não por ser turista, mas por ser uma pessoa que morreu diante da mulher e da filha a 30 segundos a pé de um posto de saúde que estava fechado. “E isso, bem diante do Centro de Informações Turísticas. Para nós, essas coincidências soam como recado bem claro, um grito de alerta. Um grito para o Centro de Nova Friburgo ouvir. Nós não podemos continuar a ser tratados como cidadãos de segunda classe. Não podemos ser vistos pela nossa pequena quantidade. Se o atendimento de emergência não deve ser para nós, então que seja para quem é do Centro e se acidenta aqui nas nossas estradas, pois pode passar mal num churrasco, pode se machucar num passeio ou num banho de cachoeira”, afirmou o presidente da Acisps, João Carlos Leal.

 

 

TAGS: Turismo